terça-feira, 22 de agosto de 2017

John Frusciante & Josh Klinghoffer - A Sphere In The Heart Of Silence (2004)


Álbum: A Sphere In The Heart Of Silence
Gravadora: Record Collection
Data de lançamento: 23 de novembro de 2004
Gênero: Rock experimental; eletrônica
Produtor: John Frusciante e Josh Klinghoffer

Faixas:
01 - Sphere
02 - The Afterglow
03 - Walls
04 - Communique
05 - At Your Enemies
06 - Surrogate People
07 - My Life

Descrição do Álbum:
A Sphere In The Heart Of Silence é o nono álbum de Frusciante, composto com a colaboração de seu amigo Josh Klinghoffer. Ambos consitituem os vocais: Frusciante é primeira voz emThe AfterglowWalls e My Life; Klinghoffer é primeira voz em Communique e At Your Enemies. Já em Surrogate People dividem a liderança vocal.

Curiosidades:
- No fim de My Life pode-se ouvir John levantando, saindo do estudio e fechando a porta.
Sphere teve que ser encurtada em cerca de dois terços, porque a versão original tinha em torno de trinta minutos.
- E esse álbum só aconteceu mais mesmo, porque o John tinha como intuinto fazer Performances ao vivo na "Knitting Factory". 

Autobiografia do Álbum:
A Sphere In The Heart Of Silence é uma gravação de música eletrônica feito por Josh Klinghoffer e eu. Depois de alguns meses fazendo músicas cruas e/ou minimizando nós decidimos voltar a fazer músicas com mais camadas, músicas eletrônicas ricas em texturas. Foi registrado como se estivesse em 1970, mas com modernos instrumentos eletrônicos que não existiam naquela época.

A primeira música “Sphere” foi originalmente feita pra ser tocada ao vivo na Performance #1, a primeira de uma série de dez shows conceituados individualmente, consistindo principalmente de música experimental. Ela foi reduzida para 10 minutos pela proposta de caber num disco. A versão original, como foi apresentada na Performance #1, teve 30 minutos de duração.

A segunda, “The Afterglow” é do tempo das canções do Shadows [...]. Metade dessas músicas foram originalmente planejadas pra fazerem parte do Shadows mas nós decidimos focar mais o meu lado compositor e guardar nosso material mais experimental pra esse álbum. Em “The Afterglow” Josh escreve e tocou toda a música e eu escrevi um vocal sobre a sua gravação 8 pistas original. É divertido cantar sobre uma música tão viajada em camadas. Dois baixos e duas guitarras.

A base de “Walls” foi programada em cerca de 15 minutos na manhã da Performance #5 quando nós abrimos para o Blonde Redhead em Pomona. Eu dancei e fiz vocais alguns efeitos vocais abstratos naquela noite, mas quando gravamos eu escrevi um vocal peculiar (literalmente escrito enquanto a drum machine estava gravando) Esta música viaja do passado pro futuro e depois volta.

“Communique” foi originalmente apresentada na Performance #2 no Knitting Factory, em Hollywood. Esta é uma daquelas gravações tão raras no mundo de hoje que é demorou pra gravar tanto quanto é preciso pra escutá-la. Josh cantou e tocou piano enquanto eu fiz ruídos em meu sintetizador modular e não teve edições.
“At Your Enemies” e “Surrogate People” foram ambas do tempo do Shadows. Elas foras escritas pelo Josh, com exceção dos meus vocais em “Surrogate People”. Nós estávamos descobrindo tanto sobre fazer música eletrônica naquela época e álbuns tipo Amnesiac (Radiohead), Verpertine (Björk) e Confield (Autechre) estavam sendo lançados na época que a estávamos abrindo as mentes para infinitas possibilidades dessa esfera.

A última música, chamada “My Life”. Foi originalmente apresentada na Performance #4. Como “Comunique”, “My Life” foi gravada ao vivo. Os passos no chão no fim da música sou eu, voltando para a sala de controle.

Minha amizade com Josh é algo que me sinto abençoado em ter. Ter experimentado tanta intimidade através de escutar música juntos, assim como tocar música juntos é uma das principais coisas que tem dado significado à minha vida.

Obrigado por ouvir. Há mais por vir.”
John Frusciante 


Créditos:
Duração: 38 minutos e 29 segundos 
Produzido por: John Frusciante e Josh Klinghoffer
Desenhado por: Ryan Hewitt
Mixagem: Ryan Hewitt
Assistentes: Chris Reynolds e Jason Gossman
Gravado / mixado em / Quando: Mad Dog Studios (09 à11 de abril de 2004) e no Cello Studios (14-15 de abril 2004)
Masterizado por / onde: Bernie Grundman / Bernie Grundman Mastering Hollywood, CA, E.U.A.
Design: Mike Piscitelli e John Frusciante
Foto da capa por: Lola Montes
Equipamentos por: Dave Lee
Administração: Q-Prime Inc. 

Agradecimentos: Universo Frusciante

Escute o álbum todo no YouTube:

28 anos de lançamento do clipe "Knock Me Down"

Hoje, 22 de agosto de 2017, o videoclipe de "Knock Me Down" completa 28 anos de lançamento. O vídeo foi lançado no dia 22 de agosto de 1989 e foi dirigido por Drew Carolan.

  

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Red Hot Chili Peppers live at Big Day Out (2000)


Big Day Out (BDO) é um festival de música que ocorre todos os anos, efetuado em diversas cidades da Austrália e Nova Zelândia, em fins de Janeiro.

Começou em Sydney em 1992, tendo-se espalhado mais tarde para Adelaide, Melbourne e Perth em 1993, tendo Gold Coast e Auckland se juntado em 1994. Em 2003, tinha sete a oito palcos (dependendo do local) acomodando música rock, electrónica e bandas internacionais e locais.

O Red Hot Chili Peppers se apresentou no ano de 2000, durante a turnê do álbum Californication.

Setlist:

1. Around The World
2. Give It Away
3. Untitled #11 (John Solo)
4. Crowd Control
5. Scar Tissue
6. Jam
7. Suck My Kiss
8. If You Have To Ask
9. Otherside
10. Skinny Sweaty Man
11. Your Pussy's Glued To A Building On Fire
12. I Could Have Lied
13. Easily
14. Californication
15. Right On Time
16. Under The Bridge
17. Me And My Friends

Encore :

18. Soul To Squeeze
19. Power Of Equality

Vídeo no YouTube:

Curiosidades RHCP: Lançamento da canção "Soul to Squeeze" no ano de 1993

Ao longo dos dias, será postado aqui no Blog RHCP Brasil curiosidades do Red Hot Chili Peppers ao longo de toda história da banda, contando também um pouco de curiosidades dos membros e ex-membros da banda.

A próxima curiosidade é da memorável e linda canção"Soul to Squeeze".


Em 1993, a gigante da música Warner Bros a fim de manter o nome da banda vivo, depois das recentes saídas de John Frusciante e de seu substituto Arik Marshall, lançou um single retirado das gravações antigas de BSSM.

Tratava-se de "Soul to Squeeze", que já havia encantado inúmeras pessoas no documentário "Funky Monks", fez na época muitos fãs se perguntarem a razão pela qual a banda e sua gravadora não haviam incluído a música no álbum. Um videoclipe filmado em preto e branco foi feito para música, dirigido por Kevin Kerslake. No vídeo, naturalmente só estavam presentes Anthony, Chad e Flea. A ideia para o clipe surgiu através de um filme antigo dos anos 30, dirigido por Todd Browning, intitulado "Freaks".

A música é o lado B de "Give it Away" e "Under the Bridge", que são outros dois grandes sucessos dos californianos. Embora não tenha entrado no quinto álbum de estúdio da banda, a mesma foi introduzida como single em 1993 e incluída na trilha sonora do filme "Coneheads" (no Brasil, Cabeças de Cone). Em 2003, o single entrou na compilação de melhores canções dos Red Hot Chili Peppers, Greatest Hits. A canção se tornou um sucesso inesperado com um pico na primeira posição no Modern Rock Tracks e vigésima segunda posição no Billboard Hot 100.

Agradecimentos pelo texto: Fatos Desconhecidos RHCP (Facebook)

domingo, 20 de agosto de 2017

Fotos raras: Red Hot Chili Peppers na Entertainment Weekly Magazine em Los Angeles, Califórnia - 1998

Os membros do Red Hot Chili Peppers foram fotografados para Entertainment Weekly Magazine em 11 de dezembro de 1998, em Los Angeles, Califórnia. (Foto por Anton Corbijn /  Getty Images).






Créditos: Anton Corbijn

Curiosidades RHCP: Thom Yorke (Radiohead) se diz influenciado pela maneira que John Frusciante toca


Thom Yorke (Radiohead), disse em uma entrevista em 2007 que a música "Reckoner" (In Rainbows) foi influenciada pela maneira como John toca. 

O que mais vocês podem nos dizer sobre "Reckoner" além da seção excelente, que vem acima do ponto médio?

Ed O'Brien:
Bem ... O que eu posso dizer? Ela foi uma música que realmente evoluiu no estúdio. Ela não tinha sido testada na estrada. Foi emocionante para ... nós, provavelmente é uma das faixas mais interessantes do álbum, porque nós realmente não temos uma visão sobre ela. Ela só evolui e eu acho que ouvir os falsetes de Thom é realmente novo, é uh ... É uma espécie de ... parece ... não estávamos tentando fazer isso, mas nós estávamos apenas tentando tirá-la e fazê-la, você sabe, tentar apresentar algo com uma percussão e fazer tudo diferente, e olhando para trás e um tipo de sensação real para se sentir...

..Thom Yorke:
Sério? Me lembra o início das raves de 1992. É apenas uma coisa batida, eu acho. Uh ... hum ... não é rave do início de 1992. A verdade direta dos fatos, rapaz! Enfim, o engraçado era que para ser honesto, a guitarra era muito influenciado por ... Fui ver o Red Hot Chili Peppers algumas vezes e eu realmente gosto da maneira como John Frusciante toca. E uh ... era uma espécie de homenagem ao que na minha opinião e dificil "não poder-realmente-escolher um tipo de caminho".

Via John Frusciante effects.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

06 anos de lançamento do clipe The Adventures of Rain Dance Maggie

Neste dia, em 2011, foi lançado o primeiro clipe do álbum I'm With You: "The Adventures of Rain Dance Maggie".

Sobre o clipe, Klasfeld disse: "Anthony e eu estávamos assistindo o clipe 'Get Back' dos The Beatles, onde eles tocam em um telhado, e decidimos: Não vai ser legal fazermos algo assim? Gravamos na Califórnia, em uma hora mágica e fazemos algo icônico para uma banda icônica".

O vídeo foi gravado em cima de um telhado sem uso de proteção: "Ficamos um pouco preocupados, porque não tinha nenhuma rede de proteção naquele telhado. Descobrimos o local de última hora, porque tinha uma vista incrível. Mas nas bordas, se você cair...é fatal.

Então ficamos um pouco preocupados, mas eles são profissionais.

Eles já fizeram isso um milhão de vezes e eles sabem os limites de tudo que fazem. A idéia era ser algo simples e icônico. E nos mantemos fiel à isso, e os resultados vocês podem ver no vídeo".

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

28 anos de lançamento do álbum Mother's Milk


Hoje, 16 de agosto de 2017, o álbum Mother's Milk completa 28 anos de lançamento!

Mother's Milk é o quarto álbum de estúdio da banda Red Hot Chili Peppers, lançado em agosto de 1989 pela EMI e produzido por Michael Beinhorn.

O álbum é marcado pela entrada do guitarrista John Frusciante e pelo baterista Chad Smith. John era um super fã da banda e realizou seu sonho em se tornar um Chili Peppers e de acordo com Flea, o baterista Chad Smith foi o baterista mais rápido e técnico durante os testes realizados por Anthony Kiedis e Flea para entrar na banda.

Com o lançamento do cd, a banda obteve um grande sucesso no mundo todo com as músicas Knock Me Down e Higher Ground. O álbum se tornou ainda o primeiro disco de ouro no início do ano de 1990.

Mother's Milk teve quatro videoclipes: Higher GroundKnock Me DownTaste The Pain e Good Times Boys.

Higher Ground 

Knock Me Down 
 

Taste The Pain
 
Good Time Boys 

32 anos de lançamento do álbum Freaky Styley


 Hoje, 16 de agosto de 2017, o álbum Freaky Styley completa 32 anos de lançamento!

Freaky Styley é o segundo álbum de estúdio dos Red Hot Chili Peppers, lançado em agosto de 1985 no IME e produzido por George Clinton. Fazem parte do cd, o vocalista Anthony Kiedis, o baixista Flea, o guitarrista Hillel Slovak e o baterista Cliff Martinez.

O álbum foi gravado no Detroit's famed R&B and funky United Sound Systems studios na borda do campus da Wayne State University. Clinton combinou vários elementos do punk e funk no repertório da banda na produção do álbum, permitindo que as músicas que contém no cd incorporem uma variedade de estilos distintos.

O álbum é considerado um dos álbuns pioneiros do Funk-Rock dos anos 80!

Freaky Styley teve dois videoclipes: Jungle Man e Catholic School Girls Rule.

Jungle Man (Rockpalast) 

Catholic School Girls Rule (Videoclip) 

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Review: Anthony Kiedis relembrou momentos de John Frusciante no Red Hot Chili Peppers (Nov/2014)

Matéria publicada em dezembro de 2014 aqui no blog.

Durante a presença do vocalista Anthony Kiedis no Barnes & Noble Union Square em New York para divulgar o livro "Fandemonium" juntamente com David Mushegain, Anthony Kiedis falou sobre diversos temas, entre eles que Rick Rubin não será o produtor no novo álbum dos Chili Peppers e falou também sobre o ex guitarrista da banda, o memorável e querido guitarrista John Frusciante.

"Deveria ter sido extremamente difícil, mas foi muito fácil. Havia algo nele que estava além do fã típico, porque ele também era fã de muitos outros músicos, nós não éramos seu foco principal. Nós éramos um dos tantos artistas que o inspiravam para criar música das mais diferentes maneiras que ele havia estudado, mas ele havia feito o mesmo com Frank Zappa e tantos outros. Quanto mais o conhecia, mais aprendi sobre a profundidade do seu conhecimento musical. Ele não era vivo tempo o suficiente para aprender sobre tudo aquilo, mas aprendeu. A transição foi que nós éramos indivíduos arrogantes naquele ponto de nossas vidas, jovens, estúpidos, rudes e egoístas."


"Éramos pequenos idiotas, para falar a verdade, e depois crescemos, e ainda bem que as pessoas não nos largaram. Mas ele tornou tudo fácil, divertido, ele era um verdadeiro estudante de música e arranjos. Eu só precisava lhe mostrar uma ideia minúscula para uma música, tipo 'eu tenho esse verso, tenho essa melodia,' e ele falava, 'ótimo! vamos para o quintal e terminamos a canção.' De alguma maneira essa barreira dele ser um fã não existia, ela desapareceu assim que nos cumprimentamos e começamos a tocar."

Em relação à dificuldade de Frusciante em encarar a fama, de certa forma, repentina, o vocalista justificou: 

"Ele era jovem, bonito, talentoso e de repente tinha algum dinheiro no bolso. Eu acho que esse nível de adoração é difícil para seres humanos, eu não acho que ninguém receba essa quantidade de adoração e lide bem com ela. É estranho, você se torna egoísta, cheio de si, porque todo mundo está te dando atenção. Não tem como ninguém lidar direito com isso. Algumas pessoas acabam morrendo por causa disso, como jovens atores, 'você é o melhor de todos os tempos. Oh – você passa pela puberdade então.' É algo muito difícil, e acho que foi difícil para John, acho que o acertou de maneira pesada."


"Não acho que ele tenha sido preparado para tudo isso, tanta coisa ficou estranha e mudou tão rápido. Fizemos muito em pouco tempo, e tudo se evaporou rapidamente, aí ele voltou e fizemos mais um monte de coisas.Nós claramente fomos feitos para compor música juntos, e escrever letras juntos, e ter as experiências caóticas que tivemos. Sempre serei grato e irei me considerar um homem de sorte por ter conhecido essa pessoa com quem eu posso sentar para escrever músicas de uma maneira tão fácil."

Agradecimentos: Alternative Nation e radiocidade.fm.

Incubus/Red Hot Chili Peppers - Drive Through Snow ((Hey Oh)) (Videosong Mashup Cover)

"Drive Through Snow" é um Videosong cover das bandas Incubus e Red Hot Chili Peppers.

Vídeo:



Youtube.com/user/twomuchcents

sábado, 12 de agosto de 2017

21 anos de lançamento do videoclipe "Coffee Shop"

Hoje, 12 de agosto de 2017, o videoclipe de "Coffee Shop" completa 21 anos de lançamento. O vídeo foi lançado em 12 de agosto de 1996 e foi dirigido por Gavin Bowden.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

John Frusciante & Josh Klinghoffer - A Sphere In The Heart Of Silence (2004)


Álbum: A Sphere In The Heart Of Silence
Gravadora: Record Collection
Data de lançamento: 23 de novembro de 2004
Gênero: Rock experimental; eletrônica
Produtor: John Frusciante e Josh Klinghoffer

Faixas:
01 - Sphere
02 - The Afterglow
03 - Walls
04 - Communique
05 - At Your Enemies
06 - Surrogate People
07 - My Life

Descrição do Álbum:
A Sphere In The Heart Of Silence é o nono álbum de Frusciante, composto com a colaboração de seu amigo Josh Klinghoffer. Ambos consitituem os vocais: Frusciante é primeira voz emThe AfterglowWalls e My Life; Klinghoffer é primeira voz em Communique e At Your Enemies. Já em Surrogate People dividem a liderança vocal.

Curiosidades:
- No fim de My Life pode-se ouvir John levantando, saindo do estudio e fechando a porta.
Sphere teve que ser encurtada em cerca de dois terços, porque a versão original tinha em torno de trinta minutos.
- E esse álbum só aconteceu mais mesmo, porque o John tinha como intuinto fazer Performances ao vivo na "Knitting Factory". 

Autobiografia do Álbum:
A Sphere In The Heart Of Silence é uma gravação de música eletrônica feito por Josh Klinghoffer e eu. Depois de alguns meses fazendo músicas cruas e/ou minimizando nós decidimos voltar a fazer músicas com mais camadas, músicas eletrônicas ricas em texturas. Foi registrado como se estivesse em 1970, mas com modernos instrumentos eletrônicos que não existiam naquela época.

A primeira música “Sphere” foi originalmente feita pra ser tocada ao vivo na Performance #1, a primeira de uma série de dez shows conceituados individualmente, consistindo principalmente de música experimental. Ela foi reduzida para 10 minutos pela proposta de caber num disco. A versão original, como foi apresentada na Performance #1, teve 30 minutos de duração.

A segunda, “The Afterglow” é do tempo das canções do Shadows [...]. Metade dessas músicas foram originalmente planejadas pra fazerem parte do Shadows mas nós decidimos focar mais o meu lado compositor e guardar nosso material mais experimental pra esse álbum. Em “The Afterglow” Josh escreve e tocou toda a música e eu escrevi um vocal sobre a sua gravação 8 pistas original. É divertido cantar sobre uma música tão viajada em camadas. Dois baixos e duas guitarras.

A base de “Walls” foi programada em cerca de 15 minutos na manhã da Performance #5 quando nós abrimos para o Blonde Redhead em Pomona. Eu dancei e fiz vocais alguns efeitos vocais abstratos naquela noite, mas quando gravamos eu escrevi um vocal peculiar (literalmente escrito enquanto a drum machine estava gravando) Esta música viaja do passado pro futuro e depois volta.

“Communique” foi originalmente apresentada na Performance #2 no Knitting Factory, em Hollywood. Esta é uma daquelas gravações tão raras no mundo de hoje que é demorou pra gravar tanto quanto é preciso pra escutá-la. Josh cantou e tocou piano enquanto eu fiz ruídos em meu sintetizador modular e não teve edições.
“At Your Enemies” e “Surrogate People” foram ambas do tempo do Shadows. Elas foras escritas pelo Josh, com exceção dos meus vocais em “Surrogate People”. Nós estávamos descobrindo tanto sobre fazer música eletrônica naquela época e álbuns tipo Amnesiac (Radiohead), Verpertine (Björk) e Confield (Autechre) estavam sendo lançados na época que a estávamos abrindo as mentes para infinitas possibilidades dessa esfera.

A última música, chamada “My Life”. Foi originalmente apresentada na Performance #4. Como “Comunique”, “My Life” foi gravada ao vivo. Os passos no chão no fim da música sou eu, voltando para a sala de controle.

Minha amizade com Josh é algo que me sinto abençoado em ter. Ter experimentado tanta intimidade através de escutar música juntos, assim como tocar música juntos é uma das principais coisas que tem dado significado à minha vida.

Obrigado por ouvir. Há mais por vir.”
John Frusciante 


Créditos:
Duração: 38 minutos e 29 segundos 
Produzido por: John Frusciante e Josh Klinghoffer
Desenhado por: Ryan Hewitt
Mixagem: Ryan Hewitt
Assistentes: Chris Reynolds e Jason Gossman
Gravado / mixado em / Quando: Mad Dog Studios (09 à11 de abril de 2004) e no Cello Studios (14-15 de abril 2004)
Masterizado por / onde: Bernie Grundman / Bernie Grundman Mastering Hollywood, CA, E.U.A.
Design: Mike Piscitelli e John Frusciante
Foto da capa por: Lola Montes
Equipamentos por: Dave Lee
Administração: Q-Prime Inc. 

Agradecimentos: Universo Frusciante

Escute o álbum todo no YouTube:

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

33 anos de lançamento do álbum "The Red Hot Chili Peppers"

 


The Red Hot Chili Peppers é o álbum de estréia da banda Red Hot Chili Peppers, lançado no dia 10 de agosto de 1984 pela EMI. O álbum foi produzido pelo produtor Andy Gill.

A música True Men Don't Kill Coyotes foi escolhida pela banda para ser single e videoclipe.

Abaixo iremos ver uma breve biografia do antes e do depois do lançamento do álbum:


O Red Hot Chili Peppers tem seu embrião desde 1979, nos intervalos entre aulas da Fairfax High School, em Hollywood, Los Angeles. Os garotos de 15 anos, Flea, Hillel Slovak e Jack Irons eram três amigos que tinham algumas ambições musicais formando a banda chamada Anthym. Um dos grandes admiradores dessa banda era Anthony Kiedis, também amigo de infância de Flea, Hillel e Irons.

Em fevereiro de 1983 nasce o Red Hot Chili Peppers, ainda com o nome de "Tony Flow and the Miraculousy Majestic Masters of Mayhem", a partir de uma ideia súbita de Anthony Kiedis, e com ele Flea, Hillel Slovak, Jack Irons e se apresentaram pela primeira vez no Rhythm Lounge, um clube de Los Angeles para um público de 30 pessoas. Eles "escreveram" para a ocasião, que envolveu a banda improvisando uma canção, enquanto Kiedis fez um rap de um poema que ele havia escrito, chamado "Out in LA". Slovak e Irons já estavam comprometidos com outro grupo, What Is This?, que se destinava a ser uma performance única. 

Hillel Slovak, Jack Irons, Alain Johannes e Flea nos tempos de What Is This?

No entanto, o desempenho foi tão animado que a banda foi convidada a voltar na semana seguinte. Devido a este sucesso inesperado, a banda mudou seu nome para The Red Hot Chili Peppers, tocando vários shows em vários clubes de Los Angeles e locais de musicais . A explicação para o nome vem de um improviso de Anthony Kiedis que conta: "Eu estava caminhando em Hollywood Hills e vi esse nome piscando num arbusto psicodélico" (o arbusto era em formato de pimenta), mas essa história parece muito mais uma lenda ou piada de Anthony, do que a verdadeira história. O que parece ser mais próximo da realidade é que eles adoravam comida mexicana com bastante pimenta (chili), Flea era fã da banda de apoio de Louis Armstrong "Red Hot Peppers" e Anthony Kiedis não poderia esquecer o nome da banda que tocou num pub em Londres, a "Chili Willy and the Red Hot Peppers". Seis canções desses shows iniciais foram na fita da banda primeira demo, que os tornaram famosos.

Três meses depois eles recebem uma oferta da Run DMC num mini festival. No mesmo tempo que Hillel e Irons ainda tocavam no What Is This?, enquanto Flea continuava tocando com o Fear. No entanto, algo fazia com que o Red Hot Chili Peppers tivesse algo a mais. Mark Richardson conhecido como "Roaster", um descobridor de talentos, procurou a banda e no verão de 1983, os Peppers já tinham uma programação completa. Eles fizeram shows por toda a cidade e no Kit-Kat Club, onde eles apareceram totalmente nús, apenas vestindo meias sobre o pênis (Socks on Cocks).


E em outubro de 1983, o Red Hot Chili Peppers assina o seu primeiro contrato com uma gravadora. A banda tinha apenas seis meses, quando eles assinaram um contrato com a EMI, o que gerou problema, pois o grupo não pôde contar com Hillel Slovak e Jack Irons, que tinham compromissos com o What Is This?, que fazia parte do elenco da MCA Records. Além do que Hillel e Jack acreditavam mais na sua banda que no RHCP, sabiam que tudo não passava de hobby e preferiam investir no seu antigo sonho de adolescência. Não teve outra, Anthony e Flea ficaram arrasados com a notícia e com a postura dos outros dois. Kiedis e Flea seriam obrigados a gravar no início do próximo ano, para contornar a situação chamaram então, o guitarrista Jack Sherman e o baterista Cliff Martinez. Porém, a química não era a mesma. Para tentar contornar o problema, a EMI sugeriu Andy Gill para ser o produtor do álbum, sendo bastante aceito por Anthony e Flea. Todavia, surgiu um conflito musical entre eles, pois Andy Gill não dava liberdade para a banda criar melodias próprias além de querer fazer com que suas músicas soassem modernas e mecânicas.

The Red Hot Chili Peppers é o álbum de estréia da banda Red Hot Chili Peppers, lançado no dia 10 de agosto de 1984 pela EMI. O álbum foi produzido pelo produtor Andy Gill. A música True Men Don't Kill Coyotes foi escolhida pela banda para ser single e videoclipe. 

Cartaz de divulgação da turnê do ano de 1984

 Durante a turnê de divulgação, os Peppers continuam a estender a lista de shows e começam a tocar na costa-oeste e médio-oeste dos EUA.