quinta-feira, 30 de março de 2017

Red Hot Chili Peppers - The Adventures Of Rain Dance Maggie (2011)


"The Adventures of Rain Dance Maggie" é o primeiro single do Red Hot Chili Peppers de seu décimo álbum de estúdio, I'm with You, lançado no dia 30 de agosto de 2011. A música foi o primeiro single em quatro anos desde "Hump de Bump" de 2007. O single foi lançado nas rádios em 15 de julho de 2011, três dias antes do esperado devido a um vazamento acidental. O single foi lançado para download digital no dia 18 de julho de 2011, enquanto o CD single foi lançado quatro dias depois. A canção alcançou o número um na parada da Billboard Rock Songs em sua segunda semana na parada. Em 10 de agosto de 2011, a canção tornou-se recorde da banda sendo o décimo segundo single do grupo a ficar em primeiro na parada da Billboard Alternative Songs

Composição
Numa entrevista a MTV, Anthony Kiedis disse: “Quando ouvi “Maggie” pela primeira vez, não sabia que seria single. Mas eu sabia que tinha amado a jam”, Kiedis explica. “Na minha primeira gravação dela, não tinha muitos vocais. Era basicamente instrumental, com uma hora de duração. Flea trouxe-nos como um exercício bem específico para escrever uma linha clássica de baixo. Ele acordou, tomou seu chá, sentou e disse: “Eu vou escrever uma linha clássica de baixo. Você não pode me parar”. Ele tocou sua linha de baixo, até que ele sentiu que estava pronta. Trouxe para nós e disse: “Isto é o Clássico Número Um”. Num dia bom, você simplesmente sabe se tem música para trabalhar, e esse foi um desses momentos”. Depois disso cada membro foi fazendo o restante da música, com Josh Klinghoffer fazendo as linhas de guitarra e Chad Smith com as batidas da música. Para Anthony, a música seria apenas uma b-side, mas acabou virando um single: "E aí, as pessoas ouviram e falaram: “Oh, essa é a melhor coisa. É a sua melhor coisa”.

Assim a canção se tornou o primeiro single do álbum e perguntado sobre quem é "Maggie", Kiedis respondeu: “É só uma coleção de memórias e pessoas ao longo do caminho, que tinham deixado minha consciência. Até eu ouvir a música. E então eles voltaram à minha consciência”. “Nomes foram trocados pra proteger os inocentes. Mas existe uma Maggie, eu lembrei depois. Tem duas Maggie’s, na verdade”.

Flea disse que 70 canções foram escritas e disse: “Nós escrevemos 70 músicas, então não é necessário que todas as melhores estivessem no álbum, mas só as que ocupassem o seu próprio espaço”. Sobre a canção, Flea disse: “The Adventures of Rain Dance Maggie, eu gosto dessa música. É uma simples e funky jam, mas é completamente diferente, não tem nada mais no álbum parecido com ela.

Videoclipe
A banda gravou duas versões para o clipe. A primeira foi dirigida pela rapper Kreayshawn, mas o clipe acabou sendo descartado. Em 30 de julho de 2011, a banda subiu ao telhado de um edifício em Venice Beach, CA para filmar uma segunda versão do vídeo da música, com o diretor Marc Klasfeld. O clipe foi lançado no dia 17 de agosto de 2011.

Sobre o clipe, Klasfeld disse: “Anthony e eu estávamos assistindo o clipe “Get Back” dos The Beatles, onde eles tocam em um telhado, e decidimos: “Não vai ser legal fazermos algo assim? Gravamos na Califórnia, em uma hora mágica e fazemos algo icônico para uma banda icônica”.

O vídeo foi gravado em cima de um telhado sem uso de proteção: “Ficamos um pouco preocupados, porque não tinha nenhuma rede de proteção naquele telhado. Descobrimos o local de última hora, porque tinha uma vista incrível. Mas nas bordas, se você cair..você morre. Então ficamos um pouco preocupados, mas eles são profissionais. Eles já fizeram isso um milhão de vezes e eles sabem os limites de tudo que fazem. A ideia era ser algo simples e icônico. E nos mantemos fiel à isso, e os resultados vocês podem ver no vídeo” 

  
Assista esse e outros vídeos oficiais do Red Hot: Youtube.com/user/RHCPtv

Gravações e composições do álbum "The Uplift Mofo Part Plan"


Trechos do livro "Scar Tissue, a vida alucinada do vocalista dos Red Hot Chili Peppers" (2004), ao qual Anthony Kiedis falou sobre momentos da gravação e composição do álbum "The Uplift Mofo Party Plan".

De acordo com o vocalista Anthony Kiedis, o processo de composição do álbum começou  depois de uma nova onda de entusiasmo de sua nova vida. Decidiu escrever uma canção sobre sua experiência de reuniões, de ficar limpo das drogas e da batalha ao vício das drogas. Anthony pegou um bloco de papel, olhou para as nuvens pela janela do avião e começou a escrever uma música ao qual retrata muito bem sua luta contras as drogas. Foi aí então que surgiu a música "Fight Like A Brave".

Pronto para voltar ao trabalho, Anthony Kiedis sentou ao lado do produtor Michael Beinhorn e começou a analisar as canções. Deveria entrar no estúdio e fazer as faixas básicas do álbum em dez dias. E não foi um processo cansativo, pois segundo o vocalista, na época bastava fazer doze canções para um disco.

Quando a banda trabalhou na música "Fight Like A Brave", o produtor Beinhorn colocou um coro de torcida de futebol cantando atrás. "Me And My Friends" Anthony escreveu enquanto viajava de San Francisco para Michigan com seu amigo Joe Walters. "Funky Crime" foi resultado de uma descrição lírica de uma conversa que Anthony teve com George Clinton, no qual ele afirmou que a música em si não fazia distinção de cor, mas a mídia e as rádios a segregavam conforme as ideias que faziam dos artistas. "Backwoods" era sobre as raízes do rock and roll e "Skinny Sweat Man" era uma ode de Hillel Slovak. "Behind The Sun" foi uns crescimento definitivo para a banda. Hillel fazia um riff melódico incomum e Beinhorn  achou que a música podia estourar.

A música "Party On Your Pussy", segundo Anthony Kiedis, retratava sua reputação na época, ao qual a gravadora EMI se recusou a colocar no disco até a música ter mudado de nome para "Special Secret Song Inside". Anthony ainda disse que nem todas as músicas eram grosseiras. "Love Trilogy" tornou-se uma das favoritas do vocalista. A canção começava como um reggae e depois entrava num funk pesado e acabava em speed metal. Durante anos, quando alguém questionava as letras do Red Hot Chili Peppers, Flea dizia "Leia 'Love Trilogy' e vai saber o que é uma letra de verdade". Fala sobre amar coisas que não são necessariamente perfeitas ou amáveis.

Anthony Kiedis disse que as canções do álbum eram incríveis. Hillel Sloval estava em chamas, todos da banda estavam apaixonados pela gravação no porão da Capitol Studios, outro incrível monumento histórico da música em Hollywood e Beinhorn trabalhava intensamento no álbum. 


Anthony Kiedis ainda conclui que gravar o disco foi maravilhoso. Jack Irons tinha acabado de voltar a banda e dava um elemento diferente e importante à química da banda. Hillel, Flea e Anthony eram os caras maníacos obcecados e Jack Irons era o cara íntegro, trabalhador, alegre e compreensivo. Quando chegou a hora de gravar os vocais, Anthony usou Hillel como seu produtor. Cada vez que fazia um vocal, ambos achavam que estava descobrindo algo novo e que essas eram as melhoras coisas que tinham gravado. Hillel ficava em êxtase, dizendo: "Essa é a coisa mais maravilhosa que já fizemos".

quarta-feira, 29 de março de 2017

Review: Show do Red Hot Chili Peppers em Santiago, Chile (Festival Lollapalooza) - 29/03/2014


Hoje, 29 de março de 2017, o show do Red Hot Chili Peppers no Festival Lollapalooza em 2014 em Santiago, Chile completa-se exatos 03 anos! O local do show foi no Parque O’Higgins, em Santiago.

Red Hot Chili Peppers, Soundgarden, Arcade Fire e Nine Inch Nails estiveram entre as principais atrações do evento, que aconteco entre 29 e 30 de março no Parque O’Higgins, em Santiago.

O site oficial listou ainda bandas como Pixies, Phoenix, Vampire Weekend, Imagine Dragons e New Order. O vocalista do Strokes, Julian Casablancas, e o ex-guitarrista do Smiths, Johnny Marr, também estavam escalados. A Nação Zumbi representou o Brasil.

Set list:

1. Can't Stop
2. Dani California
3. Otherside
4. Factory Of Faith
5. Snow ((Hey Oh))
6. The Adventures Of Rain Dance Maggie
7. I Like Dirt
8. Wet Sand
9. She's Only 18
10. Under The Bridge
11. Ethiopia
12. Intro Jam/Californication
13. By The Way

Encore:

14. Chad & Mauro & Josh & Flea Jam
15. Around The World
16. Give It Away

Fotos:














 


Red Hot Chili Peppers - Lollapalooza Chile 2014 Full Show

Red Hot Chili Peppers live @ X Games XIII ESPN 2002

Foi divulgado no YouTube, um vídeo do Red Hot Chili Peppers em uma premiação da X Games XIII ESPN 2002. No vídeo, podemos ver o discurso da banda, apresentação da música "Parallel Universe" e um trecho da música "Give It Away". 

Essa foi a primeira apresentação deles em 2002, ou seja, ainda não tinham lançado o álbum By The Way ainda. 


13/04/2002 - U.S.A, Los Angeles, CA, Universal Amphitheatre 

Vídeo:

Review: Significado das músicas do Stadium Arcadium por John Frusciante e Anthony Kiedis

O vocalista Anthony Kiedis e o ex-guitarrista John Frusciante explicaram o significado das músicas do álbum Stadium Arcadium, marcado por ser o último com John na guitarra, é o nono álbum de estúdio da banda Red Hot Chili Peppers, lançado em 5 de maio de 2006 através da Warner Bros. Records. O álbum ganhou sete indicações ao Grammy Award em 2007, incluindo um prêmio de Melhor Álbum de Rock. Foi o maior número de indicações que a banda acumulou em seus 25 anos de carreira. 
Jupiter

Dani California: 
AK: Eu quis dar continuidade à estória de Dani (que apareceu no Californication e no By The Way). Ela é a filha de um policial sulista - uma garota de mente criminosa que prospera em uma catástrofe, mas desta vez ela conhece seu fim.

Snow ((Hey Oh)):
AK: Pessoalmente, minha favorita. A letra diz (juntamente com o refrão 'I really can't go to that well no more') que nunca é tarde para mudar a sua vida, por mais fodido, sujo e destruído você estiver. Uma camada fresca de neve sempre pode cair e tornar o chão sujo em puro.

Charlie: 
AK: Charlie é a sua imaginação, um espírito que vive em sua mente. Ou poderia ser uma garota ou talvez cocaína. A cocaína não foi a inspiração, mas algumas pessoas pensam que foi. 

Stadium Arcadium:
AK: É sobre um tipo de sentimento religioso quando a banda e os fãs se tornam um só. Que nem quando eu fui ver Jah Wobble e PIL em 1979. Esta é a minha primeira memóriade uma experiência quase-religiosa em um show. E anos depois aquela porra de banda tentou roubar nosso baixista! 

Hump De Bump:
John: A velha canção do Red Hot, American Ghost Dance, tem praticamente a mesma linha de baixo. É tipo a segunda parte. Flea tocou trompete nela, o que é ótimo, então, eu não senti que nós estávamos depravando o mundo de um grande tocador de trompete. 

She's Only 18:
AK: É sobre uma garota que nasceu nos anos 80 e não gosta dos Rolling Stones. A partir daí a estór ia se desenvolve totalmente randomicamente. Tem o melhor solo de guitarra do John que você pode ouvir ficando auditivamente excitado pelo o que ele está fazendo. 

Slow Cheetah:
AK: "Esta foi inspirada na minha ex, Yohanna. Ela se parecia como uma onça. É sobre a euforia de todas as experiências da vida, até mesmo as ruins."

Warlocks: 
John: Eu gosto desse principalmente pelo título. Soa como uma coisa meio Led Zepellin ou Rush, ou algo parecido. Este é o problema com as bandas de hoje. Eles querem ser o Joy Division. Eu amo Joy Division. Mas as pessoas precisam adicionar algo novo. 

C'mon, Girl:
AK: Eu estou olhando para os meus dias de loucuras no passado e avaliando o preço.

Wet Sand:
AK: É sobre um cara que acredita na criação divina discutindo com uma garota, um trem desgovernado que acredita na evolução. Eles discutem e não conseguem se reconciliar. 

Hey:
AK: A canção chave. Ela te leva ao lugar de antes de você nascer e depois que você morre. É sobre colocar pra fora aquela coisa que você tem estado dependente mas ela tem te matado.


Mars
Desecration Smile:
John: Isto soa como The Eagles? Eu não tenho interesse pelo som do Eagles. Em termos de harmonia, eu prefiro os Beach Boys. Muitas pessoas estão notando as palavras religiosas de Anthony, mas ele não tem ido à Igreja, pelo que eu saiba.

Tell Me Baby:
John: Um semi-rap old school no estilo Chili Peppers. Kiedis, completamente num estilo Casanova perguntando, "Me diga, garota, você está sozinha?", dá à música um tom de um jantar calmo, seguido de Monarch Of Glen que não estavam incluídos na agenda. 

Hard To Concentrate:
AK: Eu compus essa música {com um subjetivo de casamento proposital} pro Flea pois ele encontrou uma mulher com quem ele quer estar junto para sempre."

21st Century:
AK: Quando o Bush tomou o poder, meu consolo foi, ok, nós temos um império do mal agora. Talvez isso seja bom. Às vezes você tem que acertar bem embaixo embaixo antes das pessoas preceberam que algo rpecisa ser feito. A linha 'leia-me uma escritura e eu irei retorcê-la' é uma espécia de comentário pro Bush. Mas também pra mim. 

She Looks To Me:
AK: É sobre uma garota que eu conheci há 2 anos atrás, assim que finalizei "Scar Tissue" (bio). Ela estava estava se auto-destruindo por causa das drogas. Eu estava namorando com ela e isso se tornou disfuncional. No final, eu acho que adquiri um amor paternal por ela. Ela estava em um lugar escuro e traiçoeiro e eu quis salvá-la.

Readymade: 
John: Eu memorizei nota por nota e cada detalhe de um solo de 10 minutos do Hendrix. Ele nunca repetiu a si mesmo. Eu estou tentando não repetí-lo. 

If:
John: Flea que a compôs. Eu estava numa fase Folk, escutando Steeleye Span, Fairport Convention e Joan Baez, então eu toquei um 'guitar slide' nela. Os backing vocals são como a ponta do chapéu de "Brandy", que tem os melhores arranjos de backing vocals.

Makes You Feel Better:
AK: Eu não quero soar como uma bichina mas nós fazemos as pessoas se sentirem melhor. Nós fazemos. As pessoas me param o tempo todo pra dizerem que os Chili Peppers mudaram a vida delas. Nós subimos em algo bem alto e trouxemos isso pra baixo para as pessoas.

Animal Bar:
John: O título original era Neu! porque o Flea queria escrever algo {Krautrock} naquele estilo. Eu usei um sitetizador modular na minha guitarra. Eu a terminei como Kraftwerk. Eu a fiz pra Bjork. Ela disse que a guitarra é chata e que ninguém tinha feito algo tã original. Eu vi que aquilo como um desafio.

So Much I:
John: So Much I me recorda a segunda música que fizémos com meu amigo Guy Picciotto, do Fugazi e seu estilo de tocar guitarra, mesmo achando que isso foi algo trazido pelo Flea.

Storm In A Tea Cup:
John: Esta costumava ser chamada de Public Enemy. Eles também inspiraram "Get On Top" do Californication, e são similares. É um verdadeiro ataque intenso do Red Hot, um pouco do passado.

We Believe:
John: Alguns garotos da igreja da minha mãe vieram cantar nela. Eu estou tocando guitarra bem fora do tempo dos outros instrumentos - novamente influenciado pelo Method Man (Wu-Tang Clan) e pelo GZA. Se eu paguei as crianças? Não, elas não foram pagas com dinheiro!

Turn It Again:
John: Ela foi originalmente chamada de Talking Heads por que ela me lembrava eles. Eu amo esta música porque Flea toca nela. Este foi seu primeiro instrumento antes do Punk Rock dominar sua mente.

Death Of A Martian:
John: Anthony compôs uma música sobre o Martian, cachorro do Flea que morreu. Eu estava fazendo os backing vocals para esta música quando o Anthony chegou em mim e disse que seu cachorro, Buster havia morrido. Isso foi incrivelmente emocional. Recenmetente, eu ganhei 2 gatos, Aztec e Maya, então eu sei muito bem como a morte de um animal pode ser dolorosa. 

Fonte: Universo Frusciante

Vintage Guitar: Guitarras favoritas do John Frusciante

Outtakes de uma seção de fotos que o John fez em 2009 para Vintage Guitar. Em destaque algumas das guitarras preferidas do John.

[...] Frusciante recentemente terminou seu último disco solo, The Empyrean - Um álbum conceitual no qual ele usou uma vasta gama de equipamentos vintages¹. Ele estava feliz em explicar seu processo criativo para a gravação das faixas e graciosamente permitiu à Vintage Guitar total acesso para olhar muitas das suas guitarras favoritas. Embora ele não se considere um colecionador, ao longo de anos Frusciante adquiriu um impressionante arsenal de instrumentos, preferindo as Stratos pré-CBS como sua escolha de guitarra tanto em palco, como em estúdio.


Fotos por Neil Zlozower:

Frusciante MainFender Stratocaster
St. George XK121969 Gibson Les Paul Custom
Gretsch White FalconRickenbacker 365 Deluxe
Gibson ES-175Gibson ES-335
ender Stratocastersmid '50
61 n Fiesta Redhis 1962 Fender Jaguar
Martin 0-15Circa 1961 Gibson SG/Les Paul Custom
Fender Bass VIPrecision Bass

Como você descreveu, há muitas atmosferas diferente, e soa como se houvessem diferentes montagens para cada canção. O que você estava usando para alcançar os sons?
John Frusciante: Tão amplamente como guitarras e efeitos, em todas as minhas gravações solo no passado, eu nunca usei o mesmo artifício que eu uso nos Chili Peppers. Nos Chili Peppers, eu sempre tenho uma Marshall Major, Marshall Jubilee, e minhas velhas Fender Stratocasters. Minha Strat principal é uma Sunburst ’62, minha segunda favorita é uma Sunburst ’57 (nota da edição: colocações sugerem que a Strat é na verdade uma ’55) e minha terceira é uma Red ’61. É interessante, a relação entre o tom quando você toca uma guitarra elétrica acusticamente e quando você toca através de um amplificador. Há definitivamente uma correlação entre como ele soa acusticamente e como ele soa através de um amplificador. Esta é minha guitarra de som mais acelerado, acusticamente e plugada. É muito acerca da maneira como ele vibra quando você toca notas diferentes. Naquela guitarra, há certas lamúrias onde você ouve um som refletido [não consegui traduzir essa frase melhor que isso]. Ela tem que fazer com as origens no passado, mas é interessante como algumas guitarras têm certos pontos de acesso nelas e certos locais parece que vibram mais que outros. É tudo coisa que dá a ela personalidade. Eu gosto de trabalhar e explorar coisas assim. Ela te dá um caminho para a viagem ao invés de apenas ter todas as opções e nenhum lugar para ir. É como ter uma liberdade sem limites, mas não saber o que fazer com ela.

Então as guitarras deste álbum foram uma daquelas três Strats e, nas partes acústicas, um Martin todo-mogno. Para amplificadores, eu estava usando ambas Major e Jubilee. Eu usei um Fender Bassman em umas poucas coisas também. Nos últimos anos eu busquei profundamente o que eu posso fazer com uma Marshall e uma Strat, tão amplamente quanto feedback, tom, e coisas como pedais wah. Pelo fato de estar entre sintetizadores, eu comecei a aproximar as ferramentas na configuração básica de uma guitarra com distorção, wah, barra whammy, e amplificação. Eu comecei realmente a procurar aquilo como parâmetros, assim como knobs em um sintetizador. Apenas há maneiras de produzir sons diferentes. Para este, eu quis usar o mesmo mecanismo que uso nos Chili Peppers, porque esta é a parte de mim que eu tenho posto no maior tempo de desenvolvimento.

Fonte: Universo Frusciante

segunda-feira, 27 de março de 2017

Curiosidades RHCP: Composição da canção "The Zephyr Song"

Ao longo dos dias, será postado aqui no Blog RHCP Brasil curiosidades do Red Hot Chili Peppers ao longo de toda história da banda, contando também um pouco de curiosidades dos membros e ex-membros da banda.

A próxima curiosidade é sobre a composição da canção "The Zephyr Song", contada por Dave Lee (técnico de guitarra do Red Hot Chili Peppers por longo tempo) ao pessoal do site JFeffects.


De acordo com o site JFeffects, Dave Lee estava presente no show do Red Hot Chili Peppers no Staples Center, em Los Angeles, no último dia 10 de março de 2017, e fez a revelação sobre a canção "The Zephyr Song".

Transcrição do site:

"Eu fui ver os Peppers na última sexta-feira (10/03) em LA. Escutar aquelas canções me trouxe de volta muitas boas memórias. Bons tempos!"

"Foi ótimo ver todo mundo. Tantos velhos amigos. Aquelas músicas me trouxeram muitas lembranças. "Zephyr Song" principalmente. Haviam principalmente duas músicas que eu tocava quando eu passava o rig do John para ter certeza que o som estava bom. Eu tocava o começo do primeiro verso de "Can't Stop", para escutar a agressividade do som, tocando as cordas com força. E eu tocava as primeiras notas de "Zephyr Song" para escutar se os timbres mais limpos e suaves estavam certos.

Uma vez enquanto eu testava o rig, eu percebi que as três primeiras notas de "Zephyr Song" (que eu estava tocando bem devagar uma vez atrás da outra) eram as mesmas das três primeiras notas de uma música do filme "Willy Wonka e a Fábrica de Chocolate" original. Uma canção chamada "Pure Imagination". Gene Wilder canta "Come with me...". Se você escutá-la, vai ver que são as mesmas três primeiras notas. Bem, com o tempo, quando testava o rig, eu acabava tocando o começo de "Pure Imagination" ao invés de "Zephyr Song".

Agradecimento: Jfeffects.com.br

Willy Wonka (HD) "Pure Imagination"

Red Hot Chili Peppers - The Zephyr Song [Official Music Video]

sexta-feira, 24 de março de 2017

Review: Red Hot Chili Peppers no documentário Bob and the Monster (2011)


Bob and the Monster narra a história do carismático vocalista/compositor Bob Forrest, nos seus dias de vocalista da banda post-punk Thelonious Monster, através da sua luta contra o vício em drogas, ao trunfo de sua transformação em um dos mais influentes conselheiros na luta do vício em drogas de hoje em dia.

O filme também apresenta uma visão raramente vista da cena punk rock de Hollywood em 1980, revivida por meio de entrevistas com amigos e colegas de Bob, imagens de arquivo e apresentações dos seus últimos cinco anos. Bob and the Monster oferece uma visão única e inspiradora sobre a vida de um poeta perturbado, cuja longa estrada para redenção, sofrimento e a esperança se tornou um testemunho do poder de cura através da música.

O documentário foi escrito e dirigo por Keirda Bahruth. Anthony Kiedis, Flea e John Frusciante grandes amigos de Forrest, estão no documentário e a trilha sonora foi de responsabilidade do Josh Klinghoffer.



Official Filme Trailer: Bob and the Monster


O guitarrista John Frusciante já fez participação também em uma música de Bob Forrest, a música "Cereal Song". Segue abaixo um review de Charles Bock, o autor de Beautiful Children compartilhou seu playlist com New York times e uma das canções ele escolheu e falou sobre a música "Cereal Song".­

Red Hot Chili Peppers - Jam + Pink As Floyd [tease] live @ Los Angeles, CA - 2012

Durante o show do Red Hot Chili Peppers em Los Angeles, Califórnia no dia 11 de agosto de 2012, a banda fez um tease da música "Pink As Floyd", uma das b-sides da "I'm with You Sessions".

A música "Pink As Floyd" foi lançada oficialmente no dia 04 de janeiro de 2013 e faz parte da “I’m Beside You”, uma edição limitada de duplo vinil LP ao qual apresenta 17 b-sides gravadas durante a “I’m With You Sessions”, lançado anteriormente como 7 “singles.

Vale a pena ver a performance:


quarta-feira, 22 de março de 2017

Red Hot Chili Peppers irá lançar edição limitada em vinil pela Record Store Day 2017


O Red Hot Chili Peppers irá lançar no próximo dia 22 de abril uma edição limitada pela Record Store Day 2017.

O disco conta com apresentações ao vivo das músicas "Go Robot" (ao vivo em Paris, França) e "Dreams Of A Samurai" (ao vivo em Madri, Espanha).

terça-feira, 21 de março de 2017

Red Hot Chili Peppers live @ San Diego, California - 21/03/2017


Show do Red Hot Chili Peppers no Valley View Casino Center em San Diego, California, Estados Unidos da América, no dia 21 de março de 2017.

Setlist:

1. Can't Stop
2. Snow ((Hey Oh))
3. The Zephyr Song
4. Dark Necessites
5. Hey
6. I Wanna Be Your Dog [The Stooges]
7. Right On Time
8. Go Robot
9. Californication
10. Around The World
11. The Getaway
12. Charlie
13. Higher Ground
14. Soul To Squeeze
15. By The Way
Encore:
16. Goodbye Angels
17. Give It Away

Fotos:












Vídeos:

I Wanna Be Your Dog / Right On Time @ San Diego, California - 21/03/2017

Give It Away @ San Diego, California - 21/03/2017

segunda-feira, 20 de março de 2017

Review: Red Hot Chili Peppers "Live on the Lake" @ Toronto, Canada - 1999

Red Hot Chili Peppers live @ Toronto, Canada foi um show realizado pela banda durante a turnê "Californication" no ano de 1999.

No vídeo abaixo podemos ver o show completo com uma ótima qualidade de som imagem.

Anthony Kiedis, Flea, Chad Smith and John Frusciante "Live on the Lake" in Toronto on the edge of Lake Ontario, August 10th 1999.


O show foi privado pela rádio Edge 102 e foi transmitido pela MuchMusic em Toronto na beira do Lago Ontário no dia 10 de agosto de 1999. Este show foi o primeiro da banda depois de se apresentarem no festival Woodstock 1999.

Set list:

1. Around The World
2. Give It Away
3. Scar Tissue
4. Savior
5. I Like Dirt
6. I Could Have Lied
7. If You Have to Ask
8. My Lovely Man
9. Me and My Friends
10. Suck my Kiss
11. Right on Time

Review: Red Hot Chili Peppers live at Big Day Out (2000)


Big Day Out (BDO) é um festival de música que ocorre todos os anos, efetuado em diversas cidades da Austrália e Nova Zelândia, em fins de Janeiro.

Começou em Sydney em 1992, tendo-se espalhado mais tarde para Adelaide, Melbourne e Perth em 1993, tendo Gold Coast e Auckland se juntado em 1994. Em 2003, tinha sete a oito palcos (dependendo do local) acomodando música rock, electrónica e bandas internacionais e locais.

O Red Hot Chili Peppers se apresentou no ano de 2000, durante a turnê do álbum Californication.

Setlist:

1. Around The World
2. Give It Away
3. Untitled #11 (John Solo)
4. Crowd Control
5. Scar Tissue
6. Jam
7. Suck My Kiss
8. If You Have To Ask
9. Otherside
10. Skinny Sweaty Man
11. Your Pussy's Glued To A Building On Fire
12. I Could Have Lied
13. Easily
14. Californication
15. Right On Time
16. Under The Bridge
17. Me And My Friends

Encore :

18. Soul To Squeeze
19. Power Of Equality

Vídeo no YouTube: