quarta-feira, 18 de julho de 2018

#HappybirthdayJackIrons


Jack Irons Steven (nascido em 18 julho de 1962 em Los Angeles, Califórnia) é um músico americano que é mais conhecido como o ex-baterista de bandas de rock norte-americana, Red Hot Chili Peppers, Eleven, e Pearl Jam.

Nascido e crescido em Los Angeles, Califórnia, Irons cresceu usando talheres de sua família como baquetas, tocando junto ao que era no rádio. Ele falou pra seus pais para comprar um conjunto de percussão, e tomou um tambor de classe. Irons participou do Bancroft Jr. High School, em Hollywood, onde se encontrou com futuros colegas de banda Michael "Flea" Balzary e Hillel Slovak. Ele então passou a freqüentar Fairfax High School, em Los Angeles ao lado de Flea e Hilel, bem como futuros colegas de banda Anthony Kiedis e Alain Johannes.

Jack Irons tocou bateria na banda da escola e orquestra. Ele e Hilel Slovak foram os fãs do Kiss, e eles formaram um ato de homenagem. Irons foi influenciado por Jack DeJohnette, Stewart Copeland e Keith Moon.

Jack Irons é conhecido por ser um dos fundadores dos Red Hot Chili Peppers e você pode ouvir ele tocando bateria no terceiro álbum dos Red Hot Chili Peppers, The Uplift Mofo Party Plan, em 1987, bem como sobre a cobertura da banda da música "Fire" (originalmente escrita por Jimi Hendrix) e o primeiro lançado pelo Red Hot Chili Peppers no álbum The Abbey Road EP de 1988.

Foi induzido no Hall da Fama do Rock em abril de 2012, como membro do Red Hot Chili Peppers.


terça-feira, 17 de julho de 2018

Red Hot Chili Peppers - I Could Die For You (Vídeo Montagem)

O canal FruscianteWorld no YouTube frequentemente posta vídeos montagens de músicas do John Frusciante e Red Hot Chili Peppers com imagens incríveis, dignos de um videoclipe. 

Vale a pena ver o vídeo da música I Could Die For You, do álbum By The Way (2002).


  

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Red Hot Chili Peppers - Strip My Mind (Vídeo Montagem)

O canal FruscianteWorld no YouTube frequentemente posta vídeos montagens de músicas do John Frusciante e Red Hot Chili Peppers com imagens incríveis, dignos de um videoclipe. 

Vale a pena ver o vídeo da música Strip My Mind, do álbum Stadium Arcadium (2006).

domingo, 15 de julho de 2018

15 anos de lançamento do videoclipe "Universally Speaking"

Hoje, 15 de julho de 2018, o videoclipe de "Universally Speaking" completa 15 anos de lançamento. O vídeo foi lançado em 15 de julho de 2003 e foi dirigido por Dick Rude.

  

07 anos de divulgação do single "The Adventures of Rain Dance Maggie" na internet


Hoje, 15 de julho de 2018, completa 07 anos de lançamento do single The Adventures of Rain Dance Maggie na internet. 

O single do Red Hot Chili Peppers, The Adventures of Rain Dance Maggie, foi divulgado na internet na sexta-feira (dia 15/07/2011). A música estava prevista para ser lançada somente no dia na segunda-feira (dia 18/07/2012), mas vários blogs e sites começaram a espalhar a faixa pela rede na tarde da sexta-feira.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Flea irá participar do evento Pathway to Paris 2018


Bob Weir, Patti Smith e Flea lideram a programação do lineup deste ano de 2018 para o evento Pathway to Paris, marcado para 14 de setembro no Masonic em São Francisco, Califórnia. O evento, que encerra a Cúpula Global de Ação Climática, concentra-se no potencial das cidades para alcançar e estender-se além das metas climáticas delineadas no Acordo de Paris.

A última vez que Flea fez parte deste evento foi ano passado no Carnegie Hall em New York City, novembro de 2017. Vale a pena ver a performance do baixista:



Para mais informações: Rollingstone.com.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Red Hot Chili Peppers disponibiliza os álbuns de estúdio em vinil


O Red Hot Chili Peppers comunicou, através de seu site oficial, que estão disponibilizados os álbuns de estúdio em vinil. 

Os álbuns disponibilizados são: The Getaway, I’m With You, Stadium Arcadium, By The Way, Californication, One Hot Minute, Blood Sugar Sex Magik, Mother’s Milk, Freaky Styley e The Uplift Mofo Party Plan.

Acesse o link para mais informações sobre preços: Redhotchilipeppers.com/shop/music/vinyl

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Review: Red Hot Chili Peppers - Live in Hyde Park (2004)


Live in Hyde Park é um álbum ao vivo lançado pelo Red Hot Chili Peppers no ano de 2004 via Warner Bros.

Os shows foram gravados ao longo de três noites de shows no Hyde Park, em Londres, em 19 de Junho, 20 e 25, de 2004, durante a turnê  Roll On The Red Tour. Estes três concertos tornaram-se os maiores concertos de bilheteria em um único local na história. Um álbum duplo compilado a partir destes três shows foi direto para o número 1 no Reino Unido e ficou lá por um total de duas semanas, com venda de cerca de mais de 120.000 mil cópias.

Dos oito álbuns de estúdio da Red Hot Chili Peppers, que foram lançados antes do Live in Hyde Park, apenas três são realmente representados no set list deste álbum - Blood Sugar Sex Magik, Californication e By the Way (o single "Fortune Faded", no entanto, foi apresentado apenas na banda na compilação Greatest Hits em 2003). "Under the Bridge" e "Give It Away" foram as únicas músicas de Blood Sugar Sex Magik. As músicas "Leverage of Space" e "Rolling Stone Sly" são exclusivos para esta coleção. A canção "Mini-Epic (Kill For Your Country)", que foi realizado, e originalmente planejado para esta versão, não foi tornado nas versões CD, provavelmente devido a questões delicadas sobre o tema da canção. No entanto, ele pode ser encontrado na maioria das gravações de vídeo exibindo os shows.


Tracklist:

Disco 1
"Intro" - 3:57
"Can't Stop" - 5:13
"Around the World" – 4:12
"Scar Tissue" – 4:08
"By the Way" – 5:20
"Fortune Faded" – 3:28
"I Feel Love" (Donna Summer cover) – 1:28
"Otherside" – 4:34
"Easily" – 5:00
"Universally Speaking" – 4:16
"Get On Top" – 4:06
"Brandy (You're a Fine Girl)" (Looking Glass cover) – 3:34
"Don't Forget Me" – 5:22
"Rolling Sly Stone" – 5:06

Disco 2
"Throw Away Your Television" – 7:30
"Leverage of Space" – 3:29
"Purple Stain" – 4:16
"The Zephyr Song" – 7:04
"Californication" – 5:26
"Right On Time" (Contains the intro of Joy Division's "Transmission") – 3:54
"Parallel Universe" – 5:37
"Drum Homage Medley" – 1:29
"Rock and Roll" (Led Zeppelin)
"Good Times Bad Times" (Led Zeppelin)
"Sunday Bloody Sunday" (U2)
"We Will Rock You" (Queen)
"Under the Bridge" – 4:54
"Black Cross" (45 Grave cover) – 3:30
"Flea's Trumpet treated by John" – 3:28
"Give It Away" – 13:17

Fotos do show:



Red Hot Chili Peppers - Live in Hyde Park 2004 

Incubus/Red Hot Chili Peppers - Drive Through Snow ((Hey Oh)) (Videosong Mashup Cover)

"Drive Through Snow" é um Videosong cover das bandas Incubus e Red Hot Chili Peppers.

Vídeo:



Youtube.com/user/twomuchcents

terça-feira, 10 de julho de 2018

Review: Chad Smith & Ian Paice - Modern Drummer Festival 2005

Em 2005, o festival mais prestigiado de bateria do mundo mudou-se para o espectacular New Jersey Performing Arts Center (NJPAC), e a combinação de talentos de classe mundial e instalações de classe mundial levantou a barra para todos os festivais de bateria no planeta.

Os bateristas Chad Smith (Red Hot Chili Peppers) e Ian Paice (Deep Purple) fizeram uma apresentação incrível neste festival. Abaixo o vídeo da apresentação:

  

segunda-feira, 9 de julho de 2018

16 anos de lançamento do álbum "By The Way"


By the Way é o oitavo álbum de estúdio da banda Red Hot Chili Peppers. Foi lançado em 09 de julho de 2002 pela Warner Bros Records. Ele vendeu mais de 286.000 cópias na primeira semana, e chegou ao número dois no Billboard 200. Os singles do álbum foram "By the Way", "The Zephyr Song", "Can't Stop", "Dosed" e "Universally Speaking".

By the Way teve uma boa recepção da critica, e é reconhecido pelas canções melódicas e suaves. O álbum vendeu 1.8 milhões de cópias em sua primeira semana, sendo 281,948 cópias nos Estados Unidos. Ao total já vendeu mais de 12 milhões de cópias em todo o mundo.

Escrita e composição
No álbum, John Frusciante teve uma grande participação em melodias com uma sonoridade emocional e comovente em toda a gravação. Também participou em grande parte do som do baixo, o que fez com que Flea achasse que seu poder na banda estivesse diminuindo. Kiedis foi influenciado musicalmente pelo amor e sua namorada. As músicas do álbum, como "By the Way", "I Could Die for You", "Dosed", "Warm Tape ", todas tiveram influência do amor. O tema das drogas também desempenhou um papel integral nas músicas escritas por Kiedis. Faixas como "This Is the Place"e "Don't Forget Me", expressam o seu desagrado intenso dos entorpecentes e os efeitos nocivos físicos e emocionais que lhe causaram. Ele referiu-se ao guitarrista Hillel Slovak em "This Is the Place", descrevendo como o uso de drogas o obrigou a faltar ao funeral: "On the day my best friend died/I could not get my copper clean". "Venice Queen" foi composta por Kiedis em homenagem a sua terapeuta Gloria Scott que ele conheceu durante uma reabilitação de drogas e que morreu logo depois que ele comprou-lhe uma casa em Venice Beach, Califórnia. Ele lamentou essa morte: "We all want to tell her/Tell her that we love her/Venice gets a queen/Best I've ever seen."

By the Way é diferente de estilos anteriores da banda, contendo mesmo assim algumas canções funk. "Can't Stop" e a faixa-título foram as únicas músicas com o antigo estilo do Red Hot Chili Peppers. Throw Away your Television continha uma linha de baixo orientada pelo funk, porém com influência de rock experimental, devido ao uso pesado de distorção ao longo do verso e refrão. "Cabron" é tocada inteiramente no violão e tem influências latinas."Tear" e "Warm Tape" foram mais baseadas no teclado do que na guitarra ou no baixo.

Lançamento
Sentindo extremamente confiante em seu álbum, o Red Hot Chili Peppers emitiu um comunicado dizendo que a música neste disco tem expandido seu espaço e os fez maiores. Chad Smith comentou que por sinal é um álbum muito dinâmico, rico e exuberante. Provavelmente, o melhor albúm da banda. A Warner Bros Records promoveu fortemente o álbum nos meses anteriores ao lançamento do disco em 2002, especialmente para o mercado online, a fim de orientar as pessoas não fizessem downloads ilegais. A gravadora implementou uma campanha de "Uma Canção Um Dia". Este programa, iniciado em 21 de junho, teve como objetivo exibir uma música por dia até que o álbum for lançado. Mais de 150 estações de rádio participaram da divulgação do material novo da banda, juntamente com a MTV, VH1 e o iTunes, bem como as empresas de telefonia celular.

By the Way foi lançado em CD e LP em 09 de julho de 2002, sob o selo da Warner Bros, vendendo 281.948 cópias nos Estados Unidos em sua primeira semana e 1,8 milhões em todo o mundo. Foi certificado ouro apenas alguns meses depois, em 26 de outubro de 2002. Cinco singles foram liberados a partir dele, dos quais a faixa-título "By the Way" foi o maior sucesso, alcançando a posição # 2 nas paradas do Reino Unido e # 1 na Billboard rock.

Capa do álbum 
Todas as direções pinturas, fotografia e arte é creditado ao Julian Schnabel e Red Hot Chili Peppers. A mulher na capa de By the Way é Stella Schnabel, filha de Julian Schnabel e então namorada de Frusciante. Ele também preparou a capa de singles do álbum.

Vale a pena ver os clipes lançados pela banda deste álbum:




sábado, 7 de julho de 2018

Red Hot Chili Peppers - Live Earth, London, England (2007-07-07)

Live Earth foi um evento de 24 horas de shows de música realizado no dia 7 de julho de 2007 em oito países de sete continentes, com o objetivo de sensibilizar a opinião pública mundial para o aquecimento global.

O Red Hot Chili Peppers se apresentou no Wembley Stadium, Londres e o set-list foi: Introdução (Flea, Chad e John), Can't Stop, Dani California, So Much I e By The Way.

Vale a pena ver novamente este grandioso show!

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Curiosidades Red Hot Chili Peppers: Significado da música "Stadium Arcadium"

Ao longo dos dias, será postado aqui no Blog RHCP Brasil curiosidades do Red Hot Chili Peppers ao longo de toda história da banda, contando também um pouco de curiosidades dos membros e ex-membros da banda.

SIGNIFICADO DA MÚSICA "STADIUM ARCADIUM"

Em uma entrevista sobre o álbum duplo "Stadium Arcadium" no ano de 2006, Anthony Kiedis, Flea, Chad Smith e John Frusciante comentaram sobre o processo de criação das músicas do álbum e um fato curioso é como iniciou o processo de gravação da faixa título do álbum "Stadium Arcadium".

De acordo com Flea, nesta música há um grande sentimento universal e muito linda e a banda encarnou e abraçou a música por inteira. Anthony Kiedis comentou que especificamente a imagem envolvida é a de um grupo de pessoas no meio do nada escutando música juntos no meio do nada, criando uma luz que reflete o céu acima porque essa canção fala sobre conectar-se às pessoas através da música para honrar o universo e sentir-se conectado ao universo.

O fato mais curioso é quando Chad Smith fala que essa é uma das poucas canções que começou com a parte da bateria dele. Anthony disse que quando chegou no ensaio em San Fernando Valley, John e Chad chegaram antes dele. Quando Chad sentou na bateria e começou a tocar uma batida, John imediatamente pegou sua guitarra e começaram a ensaiar a música. Anthony continuou dizendo que esta canção é tão grande que Chad e John tem essa estranha conexão de irmão que é muito forte, um consegue entrar no outro.

John disse que aqueles acordes e aquela parte da guitarra da estrofe, eles não poderiam ser mais óbvios a se fazer por cima do que ele (Chad) fez em seu ponto de vista e que parecia que estava sublinhando algo que Chad havia criado.

Para finalizar, Anthony afirmou de que não houve dúvidas de que após Chad e John começarem a música, essa seria a canção para o álbum.

Agradecimentos pela tradução da entrevista: JFeffects no YouTube

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Review: Entrevista do Anthony Kiedis para a revista alemã Stern (junho/2016)

Matéria publicada em junho de 2016.


O vocalista do Red Hot Chili Peppers, Anthony Kiedis, foi entrevistado pela revista alemã Stern e falou sobre diversos assuntos, entre eles, sobre sua vida pessoal e o Red Hot Chili Peppers.

Segue abaixo alguns trechos da entrevista traduzida pelo site RHCP.com.br:

Anthony Kiedis está em uma varanda numa mansão em Malibu. Do mar vem uma brisa. Kiedis tem sua jaqueta preta fechada até o pescoço. Ele está bronzeado, mas suas bochechas parecem fundas. Há pouco menos de uma semana o frontman dos Red Hot Chili Peppers teve que cancelar um concerto em Irvine, Califórnia, de última hora. Os fãs já esperavam a banda, quando o baixista Michael Balzary, apelidado de Flea, subiu ao palco para explicar que Kiedis estava a caminho do hospital. A mídia divulgou depois: dor de estômago violenta. Após a morte de Prince e David Bowie neste ano, o pânico foi grande. Teria mais um grande do rock com um passado de drogas não tão inofensivo sido pego?

“Não se preocupem”, disse Kiedis. “Bowie ainda vai ter que esperar até que eu possa visitá-lo. Mas eu tive cólicas infernais. Fiquei branco como um fantasma e mal podia me mexer. Meu corpo parou de funcionar abaixo do estômago.“ As dores foram sequelas de uma operação na qual haviam removido sua vesícula biliar. “Eu não havia mais tomado os remédios. No hospital eles colocaram tubos no meu nariz e removeram do meu corpo tudo o que não pertencia a ele. Desde então não comi mais nada sensível.”

Sobre tingir seu cabelo:
Ele fará 54 este ano. Seu corpo é malhado, seus cabelos e até mesmo seu belo bigode são tingidos. No seu nicho os homens têm que desafiar a idade. Nos concertos ele ainda se apresenta com o torso nu. Kiedis sabe que muitos pensam que um músico de rock deveria se aposentar aos 40 anos. Ele acha “legítimo” que as pessoas pensem desse jeito. ”Em relação a algumas bandas, eu mesmo fico feliz quando estão acabando. Os Eagles chegou um momento que eu não aguentava mais ouvir. Mas alguns músicos têm uma fase criativa mais longa. Uma benção que David Bowie não tenha se aposentado. Nós ainda temos energia e somos curiosos. Não há razão para parar.”

Sobre o Red Hot Chili Peppers não querer ser uma banda comercial:
Eles continuam com seu estilo de funk, rock, rap e pop. E com as baladas, naturalmente. No entanto, Kiedis nunca cederia uma música uma música para shows de talentos como “The Voice”. “Tornaria nossa música algo barato. Nós não escrevemos essas músicas para que amadores num concurso as cantassem. Quando um músico de rua toca nossa música, ouço com prazer. Mas não quando se trata de algo comercial. Fico enojado quando minhas músicas favoritas são utilizadas para propaganda.”

Abaixo, no jardim, Flea brinca com seu husky mestiço. Ele quase tropeça no degrau para o terraço. “Desculpa, não prestei atenção”, grita ele e ri. Ele tem cabelo curto e grisalho e é tão pequeno e delicado quanto Kiedis. Os dois são inseparáveis. “Quase como um casal”, brincam amigos. Recentemente, eles decidiram fazer “tatuagens de amizade de David Bowie” iguais. Ambos se presentearam com carros elétricos da Tesla. Às vezes eles se caçam como crianças e brincam de “dia do banheiro”: quem for pego deve se ajoelhar e fazer gargarejos como uma descarga de banheiro. Os dois sem conhecem desde os tempos de ensino médio na escola secundária Fairfax em Los Angeles. O padrasto de Flea era um baixista de Jazz; o pai de Anthony, John Kiedis, era um ator sem sucesso, playboy e pequeno traficante, que fornecia drogas a grandes do rock como o Led Zeppelin. Anthony e Flea fundaram os Red Hot Chili Peppers porque achavam que assim atrairiam mais (e melhor) mulheres.

Agradecimentos pela tradução e mais trechos da entrevista: Redhotchilipeppers.com.br
Entrevista completa: Stern.de

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Curiosidades RHCP: Gwen Stefani escutava todos os dias os ensaios do álbum "Californication"

Ao longo dos dias, será postado aqui no Blog RHCP Brasil curiosidades do Red Hot Chili Peppers ao longo de toda história da banda, contando também um pouco de curiosidades dos membros e ex-membros da banda.

GWEN STEFANI ESCUTAVA TODOS OS DIAS OS ENSAIOS DO ÁLBUM "CALIFORNICATION"


O vocalista do Red Hot Chili Peppers, Anthony Kiedis, é amigo de longas datas da vocalista do No Doubt e em seu livro "Scar Tissue" (2004) ele revelou que Gwen Stefani e seus amigos escutavam todos os dias os ensaios pro álbum "Californication".

"Quando começamos a ensaiar, fazia muito calor, então deixávamos a porta da garagem aberta. Depois de algumas semanas de trabalho, encontrei-me com Gwen Stefani, do No Doubt. Ela era vizinha distante de Flea que morava no vale da montanha oposta.
- Ouço vocês tocarem todos os dias - ela disse,- Meus amigos vêm em casa e nos sentamos para escutar. O som é ótimo!"

Trecho do capítulo 14 "Bem-vindo a Californication" do livro "Scar Tissue" (2004).

domingo, 1 de julho de 2018

02 anos do lançamento do Live in Paris EP via Deezer


Live in Paris EP foi lançado via Deezer em 01 de julho de 2016 e contém músicas gravadas no dia 14 de junho de 2016, na apresentação da banda no Canal+ Studios em Paris.

1. Dark Necessities
2. Give It Away
3. By The Way 
4. We Turn Red
5. Go Robot

sábado, 30 de junho de 2018

Review: Entrevista de Anthony Kiedis para a revista italiana Flair Magazine - Março de 2012

Anthony Kiedis foi entrevistado pelo jornalista italiano Luca Bergamin, para a revista Fashion Magazine, Flair. A entrevista foi feita em Barcelona, quando o Red Hot Chili Peppers tocou na Arena Palau Sant Jordi em 17 de dezembro de 2011, e foi publicada na edição de março de 2012 da revista.


No quarto de um luxuoso hotel em Barcelona, entre garrafas de sucos de vitaminas e um oratório budista para viagem, eu tive uma queda de braço com Anthony Kiedis, o líder dos Red Hot Chili Peppers. Ele é a estrela de uma das mais loucas bandas dos últimos 20 anos, que já vendeu mais de 80 milhões de álbuns ao redor do mundo, sendo o último o "I'm With You". Pouco depois dessa entrevista (eu não passei uma rasteira nele), Kiedis fraturou o pé direito. A atual turnê do RHCP foi suspensa até 29 de março, para que ele pudesse se recuperar. Anthony já ganhou 6 Grammy Awards, e levava uma vida regada à drogas e sexo.

Eu entrei no quarto dele – graças à alguns amigos – e descemos até o bar para continuar com nosso desafio. Na frente de várias testemunhas, ele me venceu com 2 movimentos com seu bíceps direito, enquanto mastigava tofu como se fosse chiclete. Ele continuou me olhando, com aqueles olhos que pareciam ter sido coloridos com aditivos sobrenaturais. Eu fiquei impressionado principalmente com as tatuagens que apareciam através da camiseta vermelha com o logo do RHCP.

Pensando sobre isso, quantas tatuagens você já desenhou?
Acho que umas 10, entre tigres, pássaros, carpas. Eu levo comigo o meu zoológico, meus animais me fazem companhia e eu nem tenho que alimentá-los, nem pegar algo com um saco plástico. Em vez disso, posso organizar uma exibição de arte com meu corpo, você não acha?

Você irá remôve-las, quando for ficando mais velho? Elas podem te constranger.
Um rock star nunca envelhece. Constranger? Uma tatuagem não é nada, considerando que somos uma banda que subia ao palco pelados, com somente meias…

Ok, você acha que é eterno. Mas para contrariar os efeitos do tempo, você ainda adota algum tipo de estratégia?
Eu sou vegetariano desde os anos 80, e recentemente vegan. Um dia eu vi o abate de uma vaca. Os animais tem que passar por várias atrocidades para satisfazer o apetite de pessoas gordas que comem hamburgueres.

O que o Rock N Roll significa para você?
É como surfar em Malibu. Uma vez que você experimenta, você não consegue parar. Há ondas altas e grandes, as vezes você tem que esperar na prancha, as vezes você consegue escutar elas chegando, ou elas te arrastam inesperadamente. É energia pura. Um belo dia, há alguns meses, um garoto parou na minha frente e disse: "I'm with you, I'm with you" (eu estou com você, eu estou com você). Eu escolhi essas palavras como título do álbum. Isso é rock.

Dos grandes artistas do passado, com quem você gostaria de tocar?
Iggy Pop e os cantores do Psycho Sluts, Deep Purple, The Turtles. E Blondie. Anos 60, 70, 80, tenho todos eles no meu iPod.

O que você odeia sobre a vida em turnê?
Que eu não possa tomar café da manhã com meu filho. Ele sempre pede para contar histórias, mas ele fica bravo se elas são curtas. Quando estou por perto, eu ligo para ele assim que ele acorda, mas não é a mesma coisa.

Como você administra seu relacionamento com Everly, considerando que você está sempre em turnê?
Não, não é verdade, eu não estou sempre em shows. Everly é uma magia, sempre me pergunto como que alguém tão bom quanto ele, pode ser meu, considerando todas as confusões que tive em minha vida. Eu tento educá-lo da melhor maneira possível e passar bastante tempo com ele. Desde que tive ele, não posso permitir mais erros. No entanto, crianças tem que crescer com liberdade e respeito em suas atitudes naturais. Aos 11 anos, eu fui enviado para uma escola para me tornar um biólogo marinho numa ilha nas Bahamas, mas quando disse ao meu pai que eu queria ser um músico, ele me incentivou.

Como você consegue fazer turnê por 1 ano sem nenhuma pausa?
Eu treino, corro, faço yoga (o Vispassana, uma forma popular de meditação indiana). O budismo me ajuda a ter uma relação saudável com meu corpo e espírito. Embora, que já tenha me acostumado a fazer turnê. Se você fizer os cálculos de quantas noites eu passei em hotéis na minha vida, você tem que multiplicar por 100 o número de tatuagens que eu tenho.

O que você faz nos seus dias de folga?
Eu leio, especialmente Cormac McCarthy. Sua Border Trilogy é adrenalina para mim. Vou em busca de pinturas de Robert Willians (artista californiano e cartunista que desenha imagens psicodélicas, inclusive em pranchas), eu tenho uma coleção inteira. E se eu não tiver nada para fazer, eu durmo.

Você é amigo do Flea desde a época de escola na Fairfax em Los Angeles. Como que vocês ainda são unidos?
Para mim, ele é o irmão Flea. Tivemos algumas brigas com drogas no passado. Mas o nosso segredo é o basquete, somos fãs dos Lakers, mesmo não tendo mais os lugares ao lado do Jack Nicholson, e tendo que assistir na tv. Você sabe que fomos os primeiros a fazer o “balconing” (pular de uma sacada/janela em uma piscina), que é moda hoje em dia. Nós pulávamos na piscina de janelas de prédios.

Você está conectado com seu pai John (ator, com o nome de Blackie Dammet e músico como Spider, que estava frequentemente com problemas por posse de drogas, e também acusado de ajudar o filho a começar com maconha e cocaína). Você realmente se importa com o julgamento dele, o que é estranho considerando ser uma estrela do rock que quebra regras por definição.
Se você falar com meu pai, depois de 5 minutos, você irá perceber que tipo de pessoa ele é, cujo melhor amigo era Sommy Bono, que frequentava a casa de Marlon Brando e conhecia a melhor músia dos anos 70, quando as drogas e a bebida eram algo legal. Ele costumava me levar aos arredores da Califórnia com seu "Austin Healey". Ele era um cara psicodélico. Sua biografia vai ser lançada esse ano, apesar de que agora ele fica respondendo nossos fãs no Facebook.

Hoje em dia, qual a relação que você tem com as drogas?
Eu não uso drogas e nem bebo desde 2000, e devo dizer que não penso mais nisso, como todas as pessoas que eram viciadas e tem dinheiro – eu sei que isso pode levar à tentação. Eu comecei quando tinha 11 anos. Uma vez, roubei o carro da minha mãe e bati depois de dirigir loucamente à 140km/h. Mas nem essa lesão cerebral traumática me fez perceber que eu estava esmagando meu cérebro com heroína.

É difícil para um rock star se manter limpo?
Eu já estava em 1998, quando parei depois da morte do nosso guitarrista Hillel Slovak, que morreu de overdose. Não usei drogas por 5 anos, mas aí tive uma recaída. E eu também fumava quase tudo. Todos os dias era uma batalha para se recuperar, que lutei pelo meu filho e por mim.

Você sempre dá o clima para a banda. Você sempre cria seus próprios cortes de cabelo?
Eu mesmo faço. Eu não sou uma mulher que vai ao cabeleireiro. Eu tenho alguma experiência com isso. Também uso óculos grandes e coloridos, que ajudam a enxergar melhor. O bigode e o cavanhaque me deixam com um look intelectual.

Você se apaixona facilmente?
É difícil reconhecer o amor verdadeiro, aquele que você sente pela outra pessoa, quando há anos meninas, até mais do que uma por noite, iam escondidas em nossas camas dispostas a fazer de tudo, sexo grupal inclusive – somente para ficar com Anthony Kiedis do Red Hot…

Você está dizendo que isso não acontece nas turnês atualmente?
Com certeza, só lembrando dos shows que tivemos no passado.

Então ainda há groupies que andam com você atualmente?
Sim, elas são mais velhas agora. Embora, hoje em dia eu aprecie mais o sexo, no passado eu usava tanta droga que era difícil lembrar os rostos das garotas com quem eu dormia.

Você tem alguma ideia do número de garotas que dividiram a cama com você?
Mais uma vez, você tem que multiplicar por 100 minhas tatuagens.

Até mesmo um rock star pode encontrar uma pessoa fora da rotina sexual, por quem possa se apaixonar. Você recentemente andou saindo com a cantora inglesa Beth Jeans Houghton..
Os estereótipos em mim – especialmente o de um cantor drogado que só pensa em levar garotas para a cama – são difícieis. É raro uma garota que pensa além disso e vê a pessoa depois de toda essa fama, mesmo que no passado eu tenha dado motivos para isso. Para o resto, sem comentários.

Como aquele com a Cher, quando você era mais novo?
Meu pai pediu à ela para ser minha babá, em uma noite. Ela foi ao banheiro para se trocar. Eu já era curioso, então pedi para ir junto e ver ele se trocando. E aí, fomos para o meu quarto e fizemos sexo. Eu tinha 13 anos.

Qual é atualmente o estado da sua mente, alguns meses antes de fazer 50 anos?
Feliz! Como ainda somos uma banda em boa forma – olha esses músculos: eles ainda são como o de um adolescente. Você quer uma revanche na queda de braço?

Ok. Embora eu queira que você use o braço com o Koi Fish, não o do Tigre.
O esquerdo? Que covarde!


7 Pecados com Anthony Kiedis

1 – Vaidade
Ele pretende passar seus últimos dias na Lituânia. "O único país onde você envelhece com dignidade". Embora ele tenha comprado um palacete na Nova Zelãndia.

2- Avareza
Ele tem falado sobre a biografia Scar Tissue, o qual ele não gosta de falar muito. E até mesmo proibiu sua família e seu filho de ler. "Muito pessoal, tenho vergonha".

3- Luxúria
Ele perdeu a virgindade aos 11 anos, numa festa organizada pelo seu pai, onde ele entrou escondido. Sua "iniciadora" tinha 18 anos. Ele define essa experiência como: "Mais informativo do que um ano inteiro de escola".

4-Inveja
Alguém como ele (que também já usou so uma meia no pênis) disse que ficou emocionado com o filme do Justin Bieber. “No avião, eu assisti Never Say Never e chorei duas vezes. Quero que o mundo saiba disso”.


5- Gula
Ele é um inesperado mágico da cozinha. Ele ganhou a atual namorada, Beth Jeans, graças a um jantar vegetariano.

6- Ira
Ele se envolveu em uma briga no desfile de Jenny Kayne, em Los Angeles. O que deixou ele com raiva. foi não ter acesso ao backstage. Foi preciso 8 seguranças para segurá-lo.

7- Preguiça
Ele foi viciado em pornografia virtual por 3 anos. O relacionamento com Heather Christie ajudou ele com isso, e fez com que ficasse fora do computador.

Agradecimentos: Stadium-Arcadium e Site RHCP Brasil pela tradução.

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Blood Sugar Sex Magik - "Guitar Player" (Outubro/1991)

Eu gosto de manter as coisas simples. Aqueles amplificadores da Mesa/Boogie não me agradavam. Durante a maior parte dos conceitos básicos das músicas eu usei dois Marshalls: um cabeçote para guitarra e outro para baixo - para obter um som bem equalizado. Eu dividi o sinal com um pedal DOD stereo chorus [Nota JF effects: DOD Stereo Chorus FX65]. Para alguns overdubs eu usei um amp Fender H.O.T. Mas para um monte de partes, até mesmo solos, eu só usei a mesa de gravação. Você pode obter sons incríveis assim, tons funk desse jeito. Na verdade, muito da minha distorção é do meu overdrive são da mesa de gravação.

Minha guitarra principal foi uma Fender '58 Strat, embora eu usei uma reedição da Gibson Les Paul em algumas coisas. Eu também tenho um '57 Strat, que alguém estragou, colocando aquelas grandes trastes estúpidos que todo mundo usa hoje em dia. Eu vomitei e disse para eles então que fizessem dela uma fretless. Foi ela que eu usei para o solo de “Mellowship Slinky”. Algumas pessoas pensam que os trastes grandes ajudam no vibrato, mas eu faço questão de usar o minimo de vibrato possível, entanto eu poderia utilizar mais isso se tivesse tempo, e um cabelo preto comprido. E eu não uso qualquer whammy bar.

É uma Coral Electric Sitar em “Blood Sugar Sex Magik”, e eu usei um antigo Lap Steel da Gibson para o solo no início da música “The Righteous and The Wicked". Meu violão é um tanto quanto novo é um Martin com cordas de aço. Mas a minha guitarra favorita no mundo é a minha velha e fodida Fender Jaguar. As cordas são todas duras, e a porcaria das notas se estranham quando você executa um bend. Eu a usei para escrever a maioria das músicas, e eu me tornei realmente ligado a ela.

Meus únicos efeitos são um EHX Big Muff e um wah-wah da Ibanez [Nota JF effects: Ibanez WH-10]. Eu gosto desse Ibanez, porque você pode fazer ajustes sem desmontá-lo, e ele tem uma configuração de baixo que soa mais como um envelope filter do que um wah. Eu usei isso em "Naked in the Rain".

"Guitar Player" - Outubro/1991

NOTA:
Além dos pedais citados por John Frusciante na Guitar Player - os seguintes pedais foram utilizados:

- Boss DS-2 Turbo Distorcion*
- Boss CE-1 Chorus Ensemble*
- Boss OD-2 Turbo Overdrive*
- DOD  FX-65 Stereo Chorus
- Electro-Harmonix Memory Man Deluxe*
- MXR Dyna Comp

- Os pedais que contém asteriscos (*) foram parcialmente reconhecidos através de imagens sem a nitidez precisa - ou foram colocados em base a relatos de fãs em diversos fóruns com esse intuito.

Agradecimentos: