segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Red Hot Chili Peppers - Death Of A Martian (Vídeo Montagem)

O canal FruscianteWorld no YouTube frequentemente posta vídeos montagens de músicas do John Frusciante e Red Hot Chili Peppers com imagens incríveis, dignos de um videoclipe.

Vale a pena ver o vídeo da música Death Of A Martian, música que pertence ao álbum Stadium Arcadium (2006).

Review: Red Hot Chili Peppers "The music that changed my life" - Q Magazine, Nov/2011

Review da entrevista publicada no blog no dia 12 de outubro de 2011.

O Red Hot Chili Peppers falou sobre a música que moldou suas vidas e o fizeram os artistas que estão na edição de colecionador do 25 º aniversário da Q Magazine - novembro de 2011.

A edição especial da revista Q foi publicado com 25 diferentes capas de vários artistas, um dos quais possui o Red Hot Chili Peppers.
  
Transcrição - Q Magazine novembro 2011 "The music that changed my life - Red Hot Chili Peppers" Edição de Colecionador.

Como você está, como o seu dia foi?
Anthony Kiedis: Sabe, eu estou muito bom. Meu dia foi ótimo.

Chad Smith: Está tudo bem. 

Qual foi a sua primeira memória musical?
Josh Klinghoffer: Quando eu tinha cinco anos eu escutava The Beatles e The Beach Boys.Então, quando eu tinha oito anos, eu tenho a memória dos Sex Pistols. 

Chad Smith: Uma coleção do meu irmão, quando eu tinha seis ou sete anos. Ele tinha todos os finais dos anos 60 / início dos anos 70 do rock Inglês e de bandas de blues como o Humble Pie, Queen, Led Zeppelin, Deep Purple, Cream... Esse foi um período fértil de 1969, quando eu tinha sete anos, até 1973. Meu irmão tocava violão, e eu comecei a tocar bateria. Ok, então começou a tocar em uma banda chamada... Conspiracy Rocking! Foi bem na época de Watergate.

Qual foi o primeiro registro que você comprou?  
Flea: Satch Plays Fats - Louis Armstrong tocando música de Fats Waller. [Canta] "All that meat and no potatoes/
Just ain't right – like green tomatoes."
 
Anthony Kiedis: Neil Young, Heart Of Gold. Eu vivia em Grand Rapids, Michigan. Em sua própria maneira especial que eu acho que ele fez me moldar um pouco
 
Onde você escutava de Neil Young e Brand New Key?  
Anthony Kiedis: Veja, a maioria das músicas que eu ouvia de cinco até 11 era no AM Radio. Eu vivia com minha mãe. Ela interpretou Carole King, que falou comigo. Eu também tenho uma memória de ser profundamente afetado por Frankenstein Edgar Winter - meu rádio saiu no meio da noite e ele estava tocando. A outra coisa que ouvi foi Wings. Eu amei: Eu não sabia nada sobre a história ou a política de The Beatles, e eu não estava frio o suficiente para gravitar em torno de John Lennon. Mesmo agora que o registro Wings record [1971 da Wild Life] me mata.

Qual foi o seu primeiro show?  
Chad Smith: Blue Oyster Cult no Pine Knob Music Centre, Detroit, 1975. A razão foi que a banda Kiss deveriam abrir para eles e eu estava obcecado com o Kiss quando eu tinha 13 anos. De qualquer forma, eles cancelaram - Gene Simmons teve um surto de herpes ou algo assim. Então Michael Quatro, irmão mais velho de Suzi Quatro, abriu o show. Na verdade, eu acabei tocando bateria com esse cara.  

Quem foi sua inspiração em primeiro lugar?  
Anthony Kiedis: Não foi uma única pessoa. Iggy Pop, David Bowie. Eu vi um concerto de Bowie no início dos anos 70 que foi absolutamente mágico. Eu nunca quis ser como ele, mas eu estava no amor com que ele estava fazendo. Eu realmente não senti vontade de fazer música até o início dos anos 80 quando eu comecei a ouvir alguns discos de hardcore - funk que estavam saindo por bandas como Defunkt e Grandmaster Mash And The Furious Five. Foi quando me dei conta de que eu poderia ser capaz de fazer isso - especialmente quando ouvi Grandmaster Flash.

Qual é o disco mais constrangedor que você possui?  
Chad Smith: Tainted Love pelo Soft Cell. Eu gosto de algumas bonitas canções bobas de Chicago, também. 

Última vez que uma  música o fez chegar às lágrimas? Flea: Foi cerca de um mês atrás.Eu estava andando na praia de Big Sur ouvir o EP Ruff Draft [falecido rapper de Detroit / produtor] por J Dilla. Foi uma experiência realmente poderosa - tão lindo que me fez chorar.

Qual é a sua canção do karaoke de escolha?  
Josh Klinghoffer: Oh! Give It Away... do Red Hot Chili Peppers.  
Um canção que você gostaria de ter escrito? 
Anthony Kiedis: Meu Deus, há cerca de 500. Eu posso ouvir qualquer registro de Bob Dylan e "Eu gostaria de ter essa capacidade de falar sobre a vida do jeito que ele fez." Ele e seus antecessores - como Woody Guthrie. Rappers adiantados como NWA - não que eu posso se relacionar a sua experiência comum.
Qual é o seu disco favorito dos últimos 25 anos? 
Chad Smith: Eu realmente gostei de Appetite For Destruction do Guns N 'Roses . Quando me mudei aqui para a Califórnia, eles estavam apenas começando a explodir. Gostava de ir a clubes como o  Sunset Strip e ver Axl Rose e Slash pendurado para fora. Eu gostava de toda a sua atitude refrescante. John Frusciante amou esse registro também.

Fotos da revista: 



domingo, 29 de setembro de 2013

26 anos de lançamento do álbum "The Uplift Mofo Party Plan"


The Uplift Mofo Party Plan é o terceiro álbum lançado pela banda Red Hot Chili Peppers em 1987 pela EMI e produzido por Michael Beinhorn.

O álbum é caracterizado por ter os membros fundadores da banda: O vocalista Anthony Kiedis, o baixista Flea, o guitarrista Hillel Slovak e o baterista Jack Irons. O álbum também é caracterizado pelo reconhecimento da banda no mundo todo após o lançamento do cd.

A música "Fight Like A Brave" é uma das músicas mais lembradas da banda e o suceso de "Fight Like A Brave" foi também ao fazer parte de uma das trilhas sonoras em uma das versões do jogo Tony Halks.

Composição das músicas: 

Kiedis recorda que durante a composição do álbum, Beinhorn encorajou-o a se afastar de seu estilo rap em favor dos vocais mais lentos. Na ocasião, Kiedis ficou muito desconfortável com sua voz, e sentiu que o novo estilo era "sentimental". Kiedis também observou que o guitarrista Hillel Slovak evoluiu durante o seu tempo longe do grupo What Is This?, e que havia adotado um estilo mais fluido em oposição ao seu original hard rock.

Em Uplift, Slovak experimentou gêneros fora do funk tradicional, incluindo reggae e speed metal. Seu riff melódico apresentado na música "Behind the Sun" inspirou o grupo a criar canções "bonitas" com ênfase na melodia. Kiedis descreve a música como "inspiração pura de Hillel". Para criar efeitos psicodélicos, Slovak também utilizou uma talkbox sobre a canção "Funky Crime". Flea incorporou um estilo de baixo com slap, que se tornaria um marco do trabalho inicial da banda. O álbum conta com um cover de Bob Dylan, "Subterranean Homesick Blues", que abandona quase todo o e seu original estilo folk em favor do estilo do grupo.

Letras das músicas: 

A maioria das letras no álbum foca em amizades entre os membros da banda, sexo e a vida em Los Angeles. A reunião dos quatro membros originais do grupo teve uma grande influência sobre as letras. Kiedis também foi inspirado pelas suas experiências pessoais e também dos outros membros da banda. Durante a gravação de Freaky Styley, Kiedis e Hillel haviam feito uso pesado de cocaína. Quando Slovak estava sob a influência da droga, ele costumava usar roupas de cores vivas e dançar, o que se tornou a inspiração para "Skinny Sweaty Man". A música "No Chump Love Sucker" também foi inspirado por Slovak, que durante a gravação do álbum, tinha sido trocado pela namorada por alguém que tinha "mais dinheiro e mais drogas".

"Funky Crime" era um reflexo de uma conversa entre a banda e George Clinton, enquanto estavam escrevendo e gravando Freaky Styley. Kiedis descreveu a canção como uma descrição lírica da conversa, sobre como a música em si é "daltônica", mas é "segregada pelos meios de comunicação e de rádio". Kiedis escreveu: "Me and My Friends", uma canção que "veio muito bem", enquanto dirigia de São Francisco para sua casa com um amigo de infância, Joe Walters. "Backwoods" fala sobre a história do rock and roll. Kiedis disse que "Love Trilogy" tornou-se uma de suas canções favoritas do grupo, e é sobre "amar as coisas que não são necessariamente perfeitas ou sempre adoráveis". Ele explicou que "Durante anos, sempre que alguém iria questionar nossas letras, Flea diria, 'Leia 'Love Trilogy' e você saberá que as verdadeiras letras são sobre tudo.'

Créditos:

Red Hot Chili Peppers 
Anthony Kiedis – vocalista principal
Flea – baixo, backing vocals
Hillel Slovak – guitarra, sitar em "Behind the Sun", vocoder, backing vocals
Jack Irons – bateria, backing vocals 

Músicos adicionais 
Michael Beinhorn – backing vocals
John Norwood Fisher – backing vocals
David Kendly – backing vocals
Angelo Moore – backing vocals
Annie Newman – backing vocals

Gravação 
Michael Beinhorn – produção
Russell Bracher – assistente de mixagem
Judy Clapp – engenheiro de gravação
Stan Katayama – assistente de mixagem
John Potoker – mixagem
Howie Weinberg –engenheiro de masterização

Adicional 
Nels Israelson – fotografia
Henry Marquez – direção de arte
Gary Panter – ilustração da capa

Vale a pena ver o clipe lançado da música "Fight Like A Brave":

Fight Like A Brave

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Red Hot Chili Peppers - Live in Hyde Park (2004)


Live in Hyde Park é um álbum ao vivo lançado pelo Red Hot Chili Peppers no ano de 2004 via Warner Bros.

Os shows foram gravados ao longo de três noites de shows no Hyde Park, em Londres, em 19 de Junho, 20 e 25, de 2004, durante a turnê  Roll On The Red Tour. Estes três concertos tornaram-se os maiores concertos de bilheteria em um único local na história. Um álbum duplo compilado a partir destes três shows foi direto para o número 1 no Reino Unido e ficou lá por um total de duas semanas, com venda de cerca de mais de 120.000 mil cópias.

Dos oito álbuns de estúdio da Red Hot Chili Peppers, que foram lançados antes do Live in Hyde Park, apenas três são realmente representados no set list deste álbum - Blood Sugar Sex Magik, Californication e By the Way (o single "Fortune Faded", no entanto, foi apresentado apenas na banda na compilação Greatest Hits em 2003). "Under the Bridge" e "Give It Away" foram as únicas músicas de Blood Sugar Sex Magik. As músicas "Leverage of Space" e "Rolling Stone Sly" são exclusivos para esta coleção. A canção "Mini-Epic (Kill For Your Country)", que foi realizado, e originalmente planejado para esta versão, não foi tornado nas versões CD, provavelmente devido a questões delicadas sobre o tema da canção. No entanto, ele pode ser encontrado na maioria das gravações de vídeo exibindo os shows.


Tracklist:

Disco 1
"Intro" - 3:57
"Can't Stop" - 5:13
"Around the World" – 4:12
"Scar Tissue" – 4:08
"By the Way" – 5:20
"Fortune Faded" – 3:28
"I Feel Love" (Donna Summer cover) – 1:28
"Otherside" – 4:34
"Easily" – 5:00
"Universally Speaking" – 4:16
"Get On Top" – 4:06
"Brandy (You're a Fine Girl)" (Looking Glass cover) – 3:34
"Don't Forget Me" – 5:22
"Rolling Sly Stone" – 5:06

Disco 2
"Throw Away Your Television" – 7:30
"Leverage of Space" – 3:29
"Purple Stain" – 4:16
"The Zephyr Song" – 7:04
"Californication" – 5:26
"Right On Time" (Contains the intro of Joy Division's "Transmission") – 3:54
"Parallel Universe" – 5:37
"Drum Homage Medley" – 1:29
"Rock and Roll" (Led Zeppelin)
"Good Times Bad Times" (Led Zeppelin)
"Sunday Bloody Sunday" (U2)
"We Will Rock You" (Queen)
"Under the Bridge" – 4:54
"Black Cross" (45 Grave cover) – 3:30
"Flea's Trumpet treated by John" – 3:28
"Give It Away" – 13:17

Fotos do show:



Red Hot Chili Peppers - Live in Hyde Park (Vinyl Version)

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Red Hot Chili Peppers lança a "Timeline" no site oficial

O site oficial do Red Hot Chili Peppers lançou oficialmente a Timeline contando a história da banda ao longo dos anos. Conheça a história dos Red Hot Chili Peppers agora no Timeline! Os fãs podem enviar eventos - texto, fotos ou vídeos - para ser adicionado à linha do tempo.

Vale a pena ver!


quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Red Hot Chili Peppers - Warlocks (Vídeo Montagem)

O canal FruscianteWorld no YouTube frequentemente posta vídeos montagens de músicas do John Frusciante e Red Hot Chili Peppers com imagens incríveis, dignos de um videoclipe.

Vale a pena ver o vídeo da música Warlocks, música que pertence ao álbum Stadium Arcadium (2006).

terça-feira, 24 de setembro de 2013

02 anos do show do Red Hot Chili Peppers no Rock In Rio, no Rio de Janeiro - RJ

Há exato 02 anos atrás, o Red Hot Chili Peppers fazia seu segundo show no Brasil em turnê mundial do álbum "I'm With You". O primeiro show da banda foi na Arena Anhembi, em São Paulo, no dia 21 de setembro de 2011. Em seguida, a banda tocou no Rock in Rio, no Rio de Janeiro, no dia 24 de setembro de 2011. 

Vale a pena ver um review do show do Red Hot Chili Peppers no Rock In Rio, no Rio de Janeiro:

Red Hot Chili Peppers apimenta segunda noite do Rock in Rio



Depois de ter sua primeira noite inteiramente dedicada à música pop, o segundo dia de Rock in Rio promete agradar os roqueiros. A noite é capitaneada pelos astros americanos do Red Hot Chili Peppers que encerrarão a programação do festival.

Os californianos são reconhecidos como uma das bandas mais importantes do planeta e consagraram uma mistura única de rock e funk. A prova da popularidade dos Chili Peppers, que tocaram no Rock in Rio 2001, é que os ingressos de hoje foram os primeiros a acabar, mesmo competindo com programações mais estreladas de outros dias.

O Red Hot, como a banda é carinhosamente chamada pelos fãs brazucas, deve mesclar antigos sucessos como "Californication", "Otherside", "Give It Way" e "By The Way" com músicas de seu 10º álbum, "I'm With You", lançado no mês passado. Os novos singles "Monarchy of Roses" e "The Adventures Of Rain Dance Maggie" são presenças certas no tracklist da apresentação. 

  Red Hot Chili Peppers no Rock In Rio 2011



Dez anos se passaram desde o último Rock in Rio, mas o Red Hot Chili Peppers está em forma e empolgou o público ao entrar no Palco Mundo cantando Monarchy of Roses.

Os fãs gritaram quando Anthony Kiedis, o frontman, perguntou arranhando um português: "tudo bom?"  antes de emendar a contagiante Can't Stop. Vestindo uma camiseta da seleção brasileira, Flea roubou a cena do palco ao executar com muita energia vários solos de baixo entre uma música e outra. Destaque para Josh Klinghoffer, novo guitarrista da banda, que substitui John Frusciante desde o final de 2009.

E tem toque brasileiro na cozinha dos Chili Peppers. O percussionista Mauro Refosco participou de várias faixas de I'm with You e recebeu uma apresentação especial durante o show, com direito a solo e tudo.

O Rock in Rio chegou ao seu segundo dia neste sábado com uma programação que destaca um dos shows mais marcantes da edição anterior, o Red Hot Chili Peppers. A banda brasileira Capital Inicial também voltou ao festival após uma década. Antes das apresentações no Palco Mundo, o festival oferece parcerias inéditas no Palco Sunset, blues e jazz na Rock Street e música tecno e dance na área Eletrônica. 

Por Blog RHCP Brasil
  

Chili Peppers faz show histórico no Rock In Rio

 ­ 
Com um setlist bastante agitado, o Red Hot Chili Peppers fez um show memorável para aqueles que são fãs da banda e aguardavam a banda há mais de 9 anos. O show marcou o aniversário de 20 anos do álbum BLOOD SUGAR SEX MAGIK e a banda tocou a música de mesmo nome no bis. Outra surpresa foi o retorno da música 'Pea' tocada na íntegra (já que em SP o Flea não continuou tocando ela inteira).



A apresentação começou após 1h da madrugada com "Monarchy of Roses" e fez os fãs da banda esquecerem todo o cansasso após caminhar kilometros por causa do bloqueio do festival, aguardar na fila e ficar no meio da multidão esperando por horas até o show mais esperado da noite.

"Can't Stop" veio logo em seguida e conseguiu animar mais o público de outras bandas que não conhecia ainda o novo álbum do RHCP. "Este é o meu amigo Flea, mas vocês o chamam de Flêa", brincou Anthony Kiedis

A banda toda se mostrou bastante empolgada e feliz por estar tocando no Rock In Rio e o publico respondeu essa energia em "Otherside", cantando junto com Anthony Kiedis, que diga-se de passagem está cantando muito bem.

Em "Look Around" deu pra ver algumas poucas pessoas batendo palma no refrão e em "Factory Of Faith" não era possível ouvir a galera gritando o riff do baixo, mas isso não foi problema nenhum pois as duas músicas foram muito bem executadas e levantou os fãs.

O atual single "The Adventures Of Rain Dance Maggie" foi a música que arrancou gritos da galera que estava ali provavelmente por causa de outra banda, inclusive gritos da mesma pessoa que chegou a dizer que "Pea" (uma das surpresas da noite) não era música do RHCP e ficou admirada com um grupo de fãs cantando na íntegra e emendando uma pequena e rápida roda punk ao final ("so fuck what, so fuck what…").


"Me & My Friends" agitou a galera e principalmente os fãs mais velhos que estavam ali acompanhando seus filhos. "Essa música foi escrita quando vocês ainda eram espermatozoides nadando nos testículos de seus pais", explicou Flea. "Ou melhor, de antes de seus pais terem testículos. Antes de inventarem os testículos!"Kiedis completou: "É de AT – antes dos testículos". O mesmo aconteceu com "Higher Ground" onde muitos tiraram e balançaram a camisa do inicio ao fim.

Antes de deixar o palco pela primeira vez, a banda tocou "By The Way" com muita energia. Tanto os fãs quanto os "curiosos" começaram a pular e alguns até conseguiram (sabe-se lá como) abrir pequenas roda punk em diferentes pontos da multidão. Mas após esse momento ninguém imaginava que o melhor, a grande surpresa da noite estava por vir…

O Bis que entrou pra história

Red Hot Chili Peppers voltou para o palco mundo pra executar um dos melhores bis da história da banda. Nada mais nada menos que "Around The World" (que voltou ao setlist após um bom tempo de fora), "Blood Sugar Sex Magik" (do álbum de mesmo nome que completou 20 anos no mesmo dia) e a clássica "Give it Away".
Essa sequencia vai ficar com certeza marcada na história, principalmente daqueles que presenciaram isso ao vivo. Foi um 'bis' pra deixar qualquer fã feliz da vida (e cansado). Foi um final emocionante e cheio de energia, que se podesse ser traduzido em um recado da banda seria algo do tipo: "Brasil! Estamos de volta, estamos com vocês" #I'mWithYou.

Por Site RHCP.com.br

 Fotos:













22 anos de lançamento do álbum "Blood Sugar Sex Magik"



Blood Sugar Sex Magik é o quinto álbum da banda Red Hot Chili Peppers, lançado em setembro de 1991 pela Warner Bros Records e produzido por Rick Rubin.

As gravações do cd foram na famosa mansão em Los Angeles, Califórnia, "The Mansion", construída em 1918. Uma equipe foi contratada para montar um estúdio de gravação e outros equipamentos necessários para a produção na mansão. A banda decidiu que iriam permanecer no interior da mansão para a duração da gravação. O genial Blood Sugar Sex Magik foi lançado no final de setembro de 1991 e desde então torna-se sucesso mundial, vendendo 12 milhões de cópias.

Todas as fotografias, pinturas e direção de arte para Blood Sugar Sex Magik foram creditadas por Gus Van Sant. A capa do álbum apresenta os quatro membros da banda posicionados em torno de uma rosa. As letras são impressas em letras brancas em um fundo preto escritos à mão por Kiedis. A cartilha também contém uma colagem de fotografias, reunidas para mostrar tatuagens dos membros da banda. Fotografias de cada membro da banda separado e duas fotografias da banda junta também estão incluídos.

Vale destacar também as participações de Brendan O'Brien, que tocou teclado e foi o engenheiro de som do álbum; Gail Frusciante, mãe do John e responsável pelo backing vocal em "Under The Bridge"; Pete Weiss, que tocou harpa em "Give It Away" e Gus Van Sant, que é o responsável pelas belas fotos que ilustram o encarte do álbum.

Vale a pena ver os clipes lançados pelo álbum:

Give It Away

Under The Bridge

Suck My Kiss

Breaking The Girl

If You Have To Ask

domingo, 22 de setembro de 2013

Red Hot Chili Peppers live @ Atlanta, Georgia (Music Midtown) - 21/09/2013


Show do Red Hot Chili Peppers em Atlanta, Georgia, no festival Music Midtown no dia 21 de setembro de 2013.

Além do Red Hot Chili Peppers, outros artistas foram confirmados para o evento: Journey, Queens Of The Stone Age, Yeah Yeah Yeahs, Imagine Dragons, Phoenix, Jane’s Addiction, Weezer, 2 Chainz, Kendrick Lamar, Cake, Tegan and Sara, Arctic Monkeys, The Black Lips, North Mississippi Allstars, The Neighbourhood, Capital Cities, ZZ Ward, Drivin N Cryin, The Mowgli’s, Mona, Reignwolf.


Set list:

1. Can't Stop
2. Dani California
3. Otherside
4. Look Around 
5. Snow ((Hey Oh))
6. She's Only 18
7. Right On Tine
8. The Adventures of Rain Dance Maggie
9. Parallel Universe 
10. Under The bridge
11. Higher Ground
12. Ethiopia
13. Californication 
14. By The Way 

Encore:

15. Around The World
16. Meet Me At The Corner
17. Give It Away

Fotos:












Vídeos: 

Intro/Can't Stop @ Atlanta, Georgia (Music Midtown) - 21/09/2013

Under The Bridge @ Atlanta, Georgia (Music Midtown) - 21/09/2013 

sábado, 21 de setembro de 2013

02 anos do show do Red Hot Chili Peppers na Arena Anhembi, em São Paulo - SP

Há exato 02 anos atrás, o Red Hot Chili Peppers retornava ao Brasil em turnê mundial do álbum "I'm With You". O primeiro show da banda foi na Arena Anhembi, em São Paulo, no dia 21 de setembro de 2011. Em seguida, a banda tocou no Rock in Rio, no Rio de Janeiro, no dia 24 de setembro de 2011.

Vale a pena ver um review do show do Red Hot Chili Peppers na Arena Anhembi, em São Paulo:


Red Hot Chili Peppers na Arena Anhembi, São Paulo – 21/09/2011

Uma das mais famosas e cultuadas bandas de rock do mundo, os Red Hot Chili Peppers tocaram em São Paulo, no palco da Arena Anhembi, onde apresentaram a nova turnê mundial da banda, baseada no álbum "I'm With You", em mais uma realização da XYZ Live. Esta é a primeira passagem do grupo pelo país desde a turnê "By The Way" que foi vista em 2002 no Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

Antes do show, foi divulgada o camarim exclusivo da banda 


Red Hot Chili Peppers ganha disco de platina no camarim, antes da apresentação

A Warner Music Brasil entregou o Disco de Platina equivalente a 40.000 cópias vendidas aqui no Brasil
Bastante solto no palco, improvisando levadas de funk entre uma música e outra, o Red Hot Chili Peppers abriu nesta quarta-feira (21), na Arena Anhembi, em São Paulo, seu show de retorno ao Brasil – que ainda terá apresentação da banda neste sábado (24), no Rock in Rio.

Com cerca de 25 minutos de atraso, os norte-americanos surgiram em cena com Monarchy of Rose, faixa de abertura de seu novo disco, I'm With You, o primeiro após cinco anos sem lançamentos de inéditas.”Tudo bem?”, indagou o vocalista Anthony Kiedis antes da execução de Can´t Stop, do disco By The Way, precedida por uma caprichada introdução em estilo funk do baixista Flea com o baterista Chad Smith – fato repetido na sequência antes de Tell me Baby.

Durante o show, um fã ergueu uma faixa escrito "FLEA PLAY PEA", que teve seu pedido atendido pelo Flea. Essa foi a supresa do show.


A volta dos bons e velhos Chili Peppers


São Paulo - Com repertório repleto de baladas, californianos mostraram que ainda têm a essência do funk em suas músicas. O Red Hot Chili Peppers mudou. Não é só o bigode de Anthony Kiedis que cresceu, claro. Os californianos passam longe do som pesado que colocou a banda no patamar mais alto da música, no início da década de 90.

Apesar da metamorfose sonora, Kiedis, Flea, Chad e o recém chegado Josh, mostraram na noite de ontem, na Arena Anhembi, zona norte de São Paulo, que, com boas baladas e uma pitada de clássicos, podem, sim, resgatar as origens do bom e velho Red Hot Chili Peppers.

Nem o mau tempo que parecia pairar sobre a cidade de São Paulo foi capaz de desanimar as mais de 30 mil pessoas que compareceram à Arena Anhembi. Com 20 minutos de atraso e uma apresentação não muito animada da banda inglesa Foals, os fãs do Red Hot estavam impacientes para rever o quarteto.

A última passagem da banda pela capital paulista foi em 2002, com a turnê "By The Way". No show não faltaram clássicos como "Higher Ground" (cover de Stevie Wonder), "Californication", "By the Way", "Give it Away", e a melancólica "Under The Bridge".



Teve batucada no rock do Red Hot Chili Peppers

Participação do percussionista brasileiro Mauro Refosco foi ponto alto do show da banda americana que se apresentou nesta quarta no Arena Anhembi, em SP

Assim que subiu ao palco do Arena Anhembi, com vinte minutos de atraso, o vocalista do Red Hot Chili Peppers, Anthony Kieds, enrolou uma bandeira do Brasil nos instrumentos de percussão no palco. Essa não seria a primeira nem a única vez que se faria alusão ao país que recebeu a turnê I’m With You nesta quarta. A participação do percussionista brasileiro Mauro Refosco no show fez a batucada invadir o rock da banda californiana, além de ter sido um dos pontos altos da apresentação.

Aguardada pelos fãs brasileiros, que até planejaram um grito de torcida em sua homenagem, a entrada de Refosco no palco foi deixada para a segunda metade do setlist, a lista de músicas. Antes disso, o vocalista Anthony Kiedis, o baixista Michael "Flea" Balzary, o baterista Chad Smith e o guitarrista Josh Klinghoffer corresponderam às expectativas do público. No setlist, canções famosas do grupo, como Scar TissueUnder the BridgeBy The Way e Californication. No palco, Kiedis mostrou estar em plena forma ao repetir a performance elétrica que virou marca registrada dos shows da banda. Flea também não deixou a desejar. Sem camisa, pulou, abusou do head bang(balançar a cabeça) e das simulações de mosh (pulo do palco sobre a plateia).

Junto com a entrada de Refosco, foi interpretada uma das cinco músicas do disco que dá nome à turnê, lançado no fim de agosto. Did I Let You Know é quase um afoxé acompanhado da guitarra pesada do rock do Red Hot Chili Peppers. Uma das melhores músicas do show, apesar de não ter empolgado tanto a plateia quanto outros hits da banda tocados à exaustão nas rádios brasileiras nas duas últimas décadas.

Junto com o baterista Chad Smith, Refosco fez um ótimo improviso para entreter a plateia durante o breve intervalo antes do bis, que terminou com a performance apoteótica de Anthony Kiedis em Give It Away -- sem camisa e sem o boné que cobriu seu penteado no mínimo exótico durante todo o show.

Por Veja.abril.com.br 

Fotos: