segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Entrevista de Anthony Kiedis para a Mojo Magazine, Dezembro de 2011


Por Dan Stubbs – Mojo Magazine, Dezembro de 2011, Edição 217

Apesar de ter convivido desde pequeno  com The Who e Sonny & Cher, os primeiros impulsos criativos do cantor Anthony Kiedis, nascido em Michigan, Los Angeles, seguiram em direção à atuação. "Só me caiu a ficha de participar de uma banda quando todos os meus amigos já tinham feito o mesmo." diz Anthony Kiedis, sentado em uma suíte de um luxuoso hotel de Londres com um bonito bigode. Esta banda na qual ele se refere – com Anthony Kiedis e seu amigo de infância, Michael "Flea" Balzary, e um elenco recorrente de guitarristas e bateristas, está agora em seu 28º ano de funk rock com um novo álbum, I'm With You, e com o novo guitarrista Josh Klinghoffer. Mais conhecido do que a maioria dos altos e baixos do vício que vemos por aí, a autobiografia de Anthony Kiedis, Scar Tissue, é um manual de como funciona, na prática, um estilo de vida pesado e intenso. Agora, no auge de seu 49º aniversário, o forte e musculoso líder da banda optou por uma vida limpa: "Eu quero ser o surfista cinquentenário mais forte e mais rápido que o mundo já viu."

MOJO: I'm With You é o 10º álbum do Red Hot Chili Peppers. Você chegou a duvidar que iria tão longe?
Anthony Kiedis: Eu acho que nós nunca projetamos nada em nenhum sentido. E se você me perguntar se eu acho que nós faremos outros 10, eu diria que eu não me importo – estamos muito felizes de estar fazendo o que estamos fazendo no momento, assim como estávamos há 28 anos.

MOJO: É o primeiro álbum de vocês sem o John Frusciante desde o mal avaliado One Hot Minute, de 1995, com Dave Navarro. Há um certo nervosismo sobre isto?
Anthony Kiedis: Não, de jeito nenhum. Quando John Frusciante saiu pela primeira vez, nós éramos mais novos, éramos pessoas diferentes. Isto nos ensinou a como prosseguir em grandes situações como esta. No passado, teríamos feito um teste para um substituto, que por sinal é uma forma longa e estúpida de encontrar uma esposa. É melhor olhar em seu quintal e encontrar alguém que você conhece e pode se relacionar.

MOJO: Uma canção para um amigo que morreu (autor e promoter de um clube em Los Angeles, Brendan Mullen) tem um nome bem direto, "Brendan's Death Song". O estilo de vida pesado que você tinha antes fez com que você obtivesse uma perspectiva diferente da morte?
Anthony Kiedis: Era um título que utilizávamos no ensaio mas que acabou virando o título original da música. Eu gosto porque soa como algo importante e superior: uma canção sobre a morte. A morte de Brendan Mullen foi muito triste, mas abriu nossos corações para o fato de como é maravilhoso estar vivo e fazendo algo que amamos. A morte é tão comum quanto a vida.

MOJO: Em 2006, logo após o Stadium Arcadium, Flea descreveu os Red Hot Chili Peppers como "disfuncionais". Vocês chegaram perto da separação da banda?
Anthony Kiedis: Olha, eu acho que só Deus sabe. Mas estar na estrada por tanto tempo foi muito difícil. Meu pé estava quebrado e os desejos do John Frusciante haviam perdido o foco para outro rumo, fazendo com que nós todos nos sentíssemos um pouco quebrados. Eu nunca pensei em jogar a toalha mas eu sentia que a toalha precisava de uma boa lavagem. Era uma toalha suja, assustada e irritada.

MOJO: Chegou a considerar seguir uma carreira solo?
Anthony Kiedis: Na verdade, não. Naquela fase nublada logo depois que o John Frusciante saiu, alguns produtores aproximaram-se de mim propondo carreira solo. Eu ouvi o que eles haviam feito e pensei: "Nem fudendo, não é tão legal como o que eu faço com a minha banda."

MOJO: Sua autobiografia, Scar Tissue, é direta e reta com todas suas imperfeições…
Anthony Kiedis: Arnold Wartzenall? Aquele grande escritor? [tentando fugir do assunto]

MOJO: Este mesmo. Você ficou preocupado em ter suas informações pessoais caindo em domínio público?
Anthony Kiedis: Sinceramente, eu nem sequer havia pensado nisto. Eu estava tão acostumado em dividir meus defeitos com as pessoas que esqueci de considerar que elas eventualmente iriam ler isto. Mas eu estou feliz porque isto se tornou um livro de auto-superação para pessoas que lutam contra seus próprios vícios e problemas da vida. Eu sou um exemplo de alguém que estava no fundo do poço e deu a volta por cima.

MOJO: Você vai permitir que o seu filho Everly leia isto?
Anthony Kiedis: Eu pedi a todos os meus familiares que passassem longe deste livro. Então, eu espero que Everly leia Mark Twain ao invés do meu livro.
  
MOJO: Você deu nome "Everly" ao seu filho por conta da banda The Everly Brothers. O que você gosta tanto neles?
Anthony Kiedis: Suas músicas e harmonias. Eu não consigo pensar em outra banda desta época que eu goste tanto quando eles. Mas na verdade eu não estava tentando dar o nome ao meu filho por causa da banda. O que ocorreu é que coincidiu de o CD deles estar na minha mesa no mesmo momento em que eu estava a procura de um nome. E achei muito bonito.

MOJO: Você conheceu muitas estrelas do rock quando você era criança. Qual te deu a maior impressão?
Anthony Kiedis: Keith Moon, pois ele era muito gentil. Eu estava cercado por adultos quando tinha 11 ou 12 anos e ele me deu atenção até assegurar-se de que eu estava bem. Eu gostei muito daquela consideração. Ele era gentil e educado ao máximo.

MOJO: Você ainda é pressionado para se comportar como aquele garoto doido da época das meias nos pênis?
Anthony Kiedis: Eu não sinto pressão alguma mas eu gosto de receber o humor disto na maioria dos dias. Não em todos os dias? Não, definitivamente não.

MOJO: Nos diga algo que você nunca disse em uma entrevista antes.
Anthony Kiedis: Eu tenho uma grande queda pela Beth Jeans Houghton. Eu a acho genial. Como eu a descobri? Eu tenho minhas fontes.

MyTunes – As canções Top 5 de Anthony Kiedis:
1. The Faces – Ooh La La
2. The Everly Brothers – Wake Up Little Susie
3. Beth Jeans Houghton – Dodecahedron
4. Off! – Rat Trap
5. Jimi Hendrix – Bold As Love

Agradecimentos: Site RHCP Brasil

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Damon Albarn cria nova banda com participação de Flea


Banda chama-se Rocketjuice and the Moon e é mais um projeto de Damon Albarn. Flea e Tony Allen também entram. Damon Albarn apresenta, este outono, mais uma banda.

O mentor dos Blur, dos Gorillaz e dos The Good, The Bad and the Queen acaba de criar os Rocketjuice and the Moon.

Ao lado de Damon Albarn estarão, nesta banda nova, Flea, o baixista dos Red Hot Chili Peppers, e o nigeriano Tony Allen, que também pertence aos The Good, The Bad and The Queen.

Segundo entrevista de Damon Albarn ao Irish Times, o álbum dos Rocketjuice and the Moon deve sair em 2012 e é influenciada pela música de Fela Kuti, com quem Tony Allen trabalhou de forma muito próxima durante mais de dez anos.

Quanto ao nome do grupo, Albarn confessa que foi ideia do autor da capa do disco. "Alguém em Lagos [Nigéria] fez o desenho da capa e deu-lhe esse nome. Para mim ótimo, porque arranjar nome para mais uma banda é sempre complicado".

Albarn, que ontem tocou ao vivo com a nova banda, vai também ressuscitar os The Good, The Bad and the Queen. "Nos dias que correm tento manter as coisas frescas e tento não me demorar muito em cada uma delas. Vou para estúdio todos os dias, cinco dias por semana... É um trabalho como outro qualquer, mas um trabalho que me interessa muito levar a cabo. Para mim, é tudo".

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Chad Smith e o novo álbum do Chickenfoot - Chickenfoot III


"Pegue os instrumentos, junte os amigos e vamos tocar!" - essa é a proposta aqui, ou pelo menos, como tudo começou - e como a maioria das bandas surgem. Acontece que estes caras não são jovens inexperientes buscando reconhecimento e um lugar ao sol: não, muito pelo contrário, são músicos calejados, artistas com carreira e sucesso consolidado. Estou falando do Chickenfoot, o "supergrupo" formado pelos amigos Joe Satriani, Sammy Hagar (ex Van Halen), Michael Anthony (ex Van Halen) e Chad Smith (Red Hot Chili Peppers).

"Nós nos encontramos como quatro amigos e dissemos: Cara, isso é ótimo. Vamos sair e tocar música." - Michael Anthony.


No autointitulado primeiro álbum dos caras, lançado em 2009, um clima de JAM era sentido, um lance bacana do tipo "hey, estamos nos divertindo pra caralho e vocês?" (sim, nós estavamos). Ares estes, também sentidos nos primeiros minutos de "III"; porém, algo mais é notado neste, que apesar do título, é o segundo registro em estúdio do quarteto. Um certo "espírito de banda" está mais latente, o que deixou o resultado final mais coeso, fugindo de vez da alcunha, as vezes pejorativa (se levarmos para o lado comercial da coisa), de "supergrupo", fazendo com que este trabalho seja muito superior ao primeiro, e um dos melhores discos de Rock/Hard do ano - junto com o mais novo trabalho do King Kobra, que leva o nome da banda, e "2", do Black Country Communion.

"Assim que saiu a notícia sobre o Chickenfoot todos passaram a nos chamar de supergrupo. Mas o mais legal nessa banda é que já éramos todos amigos antes dela começar. Não foi tipo como se tivéssemos dito: Ei, vamos botar o baterista do Red Hot Chili Peppers." - Michael Anthony

O álbum abre com "Last Temptation" deixando claro que todos estão jogando no mesmo time e afiadíssimos em suas funções - modelando um estilo Chickenfoot de se fazer música -, e é seguida de perto pela ensolarada e festeira "Alright, Alright". A simpatissíssima (semi) balada acústica "Different Devil", injeta um punhado de inocência saborosa neste início, no momento exato de ser o "silêncio" que nos acalenta antes do riff intimidante de "Up Next" (e seu ótimo refrão) e do hard/blues sinuoso de "Lighten Up", com Satriani despejando o seu já conhecido talento.

O som despojado da banda, apresentado no primeiro disco, e até agora realizado com entrosamento absurdo pelo grupo, dá um break, pois temos uma belíssima incursão nos territórios da soul music na forma da sentimental "Come Closer", que me faz lembrar dos Rolling Stones e precede aquele que, talvez, seja o momento mais impactante do álbum: a raivosa "Three and a Half Letters", um relato cáustico sobre os nebulosos tempos modernos do American Way of Life, com suas guerras mentirosas e eminentes crises financeiras.

Uma linha de baixo maliciosa anuncia a contagiante e "exagerada" "Dubai Blues", com mais uma aula do guitarrista Joe Satriani, que mostra, durante toda a audição de "III", ter encontrado um equilíbrio perfeito, contrariando aqueles que sempre questionaram o seu papel à favor de uma banda.

As texturas acústicas (com direito a banjo) de "Something Going Wrong", somadas ao pressagioso lamento vocal de Hagar (motrando toda a sua versatilidade naquele que, segundo o próprio, é o melhor álbum que ele já gravou) e um solo absurdamente arrepiante de guitarra, fecham o álbum da melhor maneira possível, mostrando que o Chickenfoot é uma das melhores coisas que aconteceu no Hard Rock nestes últimos 20 anos.

Ainda somos presenteados com a forte e relevante hidden track "No Change", que mesmo não fazendo parte do tracklist final do álbum teria todo o potencial para ser.

"É tão bom que parece que pulamos do primeiro álbum direto para o terceiro." - Hagar explicando a escolha do título.

Estes caras nasceram para tocar juntos, mostrando que, além de possuir uma química perfeita, essa nova "velha" banda tem muita lenha para queimar.

Sabor oitentista com tempero dos anos 70; guitarras pesadas, melodiosas, solos eletrizantes; coros e backing vocals harmoniosos, refrões grudentos e certeiros; baixo swingado e encorpado; batidas marcantes, cheias de groove e atitude; Funk, Soul, Blues… puro Rock and Roll!!

Regozije-se. Os deuses da música estão orgulhosos!

Chickenfoot: III (2011)

1. Last Temptation
2. Alright, Alright
3. Different Devil
4. Up Next
5. Lighten Up
6. Come Closer
7. Three and a Half Letters
8. Big Foot
9. Dubai Blues
10 .Something Going Wrong
11. No Change (Hidden track)

Vejam o vídeo de Three and a Half Letters:

     

Formação - Sammy Hagar (vocal), Joe Satriani (guitar), Michael Anthony (bass), Chad Smith (drum).

http://www.chickenfoot.us
http://www.myspace.com/thechickenfoot

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Parabéns Chad Smith!


Hoje, 25 de outubro de 2011, nosso querido baterista comemora 50 anos!
 
Nascido em 25 de outubro 1961, Chad sempre dedicou sua vida em tocar bateria. Entrou no Red Hot em 1989, quando os Red Hot Chili Peppers estavam precisando de um baterista. Muitos foram testados, mas só o Chad consegui se encaixar perfeitamente. Segundo Flea, foi o melhor e mais barulhento baterista que ele tinha visto. Teve como principais influências musicais John Boham, Keith Moon.

Atualmente, além do Red Hot Chili Peppers, Chad participa de outros projetos, em especial o projeto Chad Smith's Bombastic Meatbats e com o Chickenfoot.

Parabéns Chad Smith! Que você continue sendo esse grande baterista junto com os Red Hot Chili Peppers e com seus projetos paralelos por muito mais tempo!

domingo, 23 de outubro de 2011

View from the road – RHCP em turnê pela Europa em setembro de 2011

Novo vídeo do Red Hot Chili Peppers na estrada pela Europa durante o a turnê de "I'm With You" em setembro de 2011. Filmado pela filha de Flea, Clara Balzary - www.clarabalzary.com

  Publicado no canal do YouTube RHCP oficial em 21 de outubro.

         

Dave Navarro faz tattoo do John Frusciante em seu amigo

Em seu site, Dave Navarro mostrou a tatuagem que fez do John Frusciante em seu amigo.

Fotos:


sábado, 22 de outubro de 2011

Red Hot Chili Peppers é confirmado no Rock In Rio Lisboa 2012


Os Red Hot Chili Peppers são a primeira grande atração confirmada para o Rock In Rio Lisboa de 2012, que acontecerá no Parque da Bela Vista, em Lisboa, nos dias 25, 26, 31 de maio, e 1 e 2 de junho. Trata-se do retorno da banda depois de ter atuado na edição de 2006 do mesmo evento.

O grupo que lançou em final de agosto o décimo álbum da sua carreira, I'm With You , passou em setembro pela edição brasileira do festival, no Rio de Janeiro. Antes disso, o jornal português BLITZ já dava como certo o show do RHCP em Portugal.

No Rock In Rio 2011, estreou-se a parceria entre os brasileiros do Titãs e os portugueses Xutos & Pontapés, essa experiência se repetirá na primavera portuguesa do próximo ano.

Segundo o jornal português Correio da Manhã, o Rock In Rio Lisboa contará também com a "Rock Street" que teve sua estréia no Brasil: trata-se de uma "cidade cenográfica inspirada em Nova Orleans" com "malabaristas, bandas de jazz, artistas de sapateado, mágicos, acrobatas, estátuas humanas".

Fonte: BLITZ.pt
Enviado por: Paulo Silva

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Show do Red Hot Chili Peppers em Frankfurt, Alemanha - 21/10/11

Festhalle, Frankfurt
O Red Hot Chili Peppers voltou novamente para a Alemanha para o show em Frankfurt, Alemanha. O local do show é no Festhalle, local usado principalmente para esportes e concertos musicais.

O Festhalle Frankfurt tem uma capacidade de 15.179 pessoas.

Confira o setlist:

1. Monarchy of Roses
2. Dani California
Short jam
3. Charlie
4. Look Around
5. Otherside
Flea bass intro
6. Throw Away Your Television
7. The Adventures of Rain Dance Maggie
8. Fire
9. Pea (with outro)
10. Can't Stop
Organic Anti Beat box band!(tease)
11. Police Station
12. Me & My friends
13. She's Only 18!
14. Higher Ground
15. Californication
16. By The Way

Encore:

17. Drum & percussion jam (Chad on percussion and josh on drum!)
18. Power of Equality
19. Under the Bridge
20. Give it away (with femi Kuti on sax)
21. Endjam with Kuti & Mauro

Vídeos:

Californication@Frankfurt
 

Under The Bridge@Frankfurt
 

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Flea faz nova tattoo desenhada por sua filha

A nova tatuagem de Flea foi desenhada por sua filha 'Sunny Bebop' e coberto pelo famoso tatuador Henk Schiffmacher no dia 15 de outubro.

Em seu Twitter, Flea postou a foto da nova tatuagem dizendo que é um das melhores tatuagems que poderia ver, feito pela sua filha Sunny.

Fotos:


Flea já com sua nova tatuagem em turnê

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Shows do Red Hot Chili Peppers em Paris, França (Bercy) 18 e 19 de outubro de 2011

Palais Omnisports Paris Bercy
O Red Hot Chili Peppers se apresentou em Paris, França para duas apresentações nos dias 18 e 19 de outubro no Palais Omnisports Paris Bercy. A arena recebe diversos eventos como, hóquei, basquete, futebol e shows musicais e geralmente é abreviado como POPB-Bercy.

O Omnisports de Bercy tem a capacidade para 17 mil pessoas.

A primeira noite foi marcada pela volta da música Wet Sand junto com outras músicas do álbum Stadium Arcadium no setlist. O grupo Femi Kuti and The Positive Force fez a abertura do show.

Setlist 18/10/2011:

1. Monarchy of Roses
2.  Can't Stop
Short Jam
3. Charlie
4. Dani California
Outro Jam
5. Otherside
6. Look Around
7. Hard to Concentrate
8. Me and my Friends
9. Wet Sand
Jam
10. The Adventures of Rain Dance Maggie
11. Higher Ground
12. Under the Bridge
13. Right on Time
14. Californication (without intro)
15. By the Way

Encore:

16. Drums & Percussions
Flea & Josh
17. Around the World
18. Everybody knows this is Nowhere (Neil Young cover)
19. Give it Away with Kuti

Fotos do dia 18/10:





Vídeo do dia 18/10:

     


A segunda noite foi marcada por um setlist bastante variado com a volta da música Fire, cover do Jimi Hendrix que marcou época na banda e de terem feito um pequeno tease da música Jungle Man. O grupo Femi Kuti and The Positive Force fez a abertura do show.

Setlist 19/10/2011:

1. Monarchy of Roses
2. Dani California
3. Scar Tissue
4. Look Around
5. Emit Remmus
6. Tell me Baby
7. Rain Dance Maggie
8 Throw away your TV
Little Jam
9. Soul to Squeeze
10. Factory of Faith
11. Fire
12. Jungle Man (somente tease)
13. If You Have To Ask
14. Can't Stop
15. Under the Bridge
16. By the Way

Encore:

17. Drum & Percussion w/ Flea & Josh
18. Californication
19. Sir Psycho Sexy
20. They're the Red Hot
21. Give it away with Femi
22. Final Jam


Fotos do dia 19/10:





Vídeo do dia 19/10:

     

domingo, 16 de outubro de 2011

Show do Red Hot Chili Peppers em Rotterdam, Holanda - 16/10/11


O Red Hot Chili Peppers voltou para a Holanda depois de 4 anos para a turnê do álbum "I'm With You". O último show da banda na Holanda foi em junho de 2007 em Nijmegan, Goffert Park.

Sobre o local do show, Ahoy Rotterdam é uma arena esportiva construída em 1970 em Rotterdam, Holanda. A capacidade da arena é de 15.000 mil pessoas. 

Confiram o setlist do show:
1. Monarchy of Roses
2. Dani California
3. Short Jam
4. Scar Tissue
5. Can't Stop
6. Ethiopia
7. Otherside
8. Throw Away Your Television
9. Happy Birthday
10. The Adventures of Rain Dance Maggie
11. Me And My Friends
12. Under the Bridge
13. Look Around
14. Short Flea Solo
15. Hard To Concentrate
16. Higher Ground
17. Californication
18. By the Way

Encore:

19. Chad & Mauro
20. Sir Psycho Sexy
21. They're Red Hot
22. Soul To Squeeze
23. Give it Away (with Femi Kuti) 

Fotos:









Vídeos:

Monarchy Of Roses @ahoy, Rotterdam
     

Californication @Ahoy, Rotterdam
     

Jam + Sir Psycho Sexy @Ahoy, Rotterdam
     

Give It Away @Ahoy, Rotterdam
     

Parabéns Flea e Mauro Refosco!

Hoje, 16 de outubro de 2011, Flea e Mauro Refosco fazem aniversário!


Flea, nascido em Melbourne, Austrália, no ano de 1962, mudou-se ainda cedo para os EUA em Los Angeles no ano de 1972. Conheceu Anthony Kiedis ainda na escola, e formaram junto com Hillel Slovak e Jack Irons a primeira formação do Red Hot Chili Peppers. Vale a pena lembrar que Flea já tocou com várias bandas de Los Angeles, incluido o Fear, antes de formar o Red Hot Chili Peppers com Kiedis, em 1983.

É considerado por muitos como o melhor baixista ou um dos melhores baixistas do mundo por sua genialidade e amor em tocar baixo.



Mauro Refosco nasceu em Joaçava, Santa Catarina. Quando garoto era o mascote do JEC (Joaçaba Esporte Clube) e desde aquele tempo sempre quis tocar algum instrumento com a banda que animava a torcida.

Ainda adolescente, que ele começou a levar a música a sério. Antes teve que convencer o pai, dono de uma oficina mecânica e que queria ver seus filhos doutores.

Com 18 anos, Mauro deixou receoso Santa Catarina para estudar percussão em São Paulo, em um curso orquestral, com música contemporânea, na Unesp (Universidade Estadual Paulista).

Em 1992 mudou-se para Nova Iorque e se formou em Percussão na Manhattan School of Music. Mauro já tocou com diversos artistas como David Byrne, Lounge Lizard Band (de John Lurie), Bebel Gilberto entre outros. Em 2002 formou a banda Forró In The Dark, que teve a participação de David Byrne.

Convidado por Thom York (Radiohead), participou do projeto Atoms For Peaces no fim de 2009, onde conheceu Flea e se tornaram bons amigos. Como vocês já sabem, Mauro gravou a percussão em “I’m With You” e hoje é um membro importante para as apresentações ao vivo do Red Hot Chili Peppers, adicionando todo seu conhecimento, experiência e é claro, o jeitinho brasileiro.

Parabéns aos dois, muitas felicidades!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Concurso Cultural: Ganhe a discografia completa do RHCP



Mais um concurso com prêmios para os fãs do RHCP o Portal ROCKLine em parceria com a Warner Music irá sortear a discografia completa da banda e 9 I'm With You no dia 30 de outubro, não deixe de participar!

Concurso Cultural: Red Hot Chili Peppers – Ganhe a discografia completa da banda, incluindo o novo CD "I'm With You"

Em parceria com a Warner Music, o Portal ROCKLine tem uma incrível coleção do Red Hot Chili Peppers esperando por você. Para concorrer a discografia completa da banda – são 16 Cds!!! -, incluindo o novo disco "I'm With You", tweet: "Eu sigo o @PortalROCKLine e a @WarnerMusicBR e quero a discografia completa do Red Hot Chili Peppers #RHCPnoROCKLine."

No dia 30 de outubro, às 18h, rola o sorteio da coleção e mais 9 Cds "I'm With You". Não perca essa chance! Comece a seguir o @PortalROCKLine e a @WarnerMusicBR agora e envie seu tweet.

Saiba mais em: Portalrockline.com.br

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Red Hot Chili Peppers “The music that changed my life” – Q Magazine, Nov/2011

O Red Hot Chili Peppers falou sobre a música que moldou suas vidas e o fizeram os artistas que estão na edição de colecionador do 25 º aniversário da Q Magazine - novembro de 2011.

A edição especial da revista Q foi publicado com 25 diferentes capas de vários artistas, um dos quais possui o Red Hot Chili Peppers.
 
Transcrição - Q Magazine novembro 2011 "The music that changed my life - Red Hot Chili Peppers" Edição de Colecionador.

Como você está, como o seu dia foi?
Anthony Kiedis: Sabe, eu estou muito bom. Meu dia foi ótimo.

Chad Smith: Está tudo bem. 

Qual foi a sua primeira memória musical?
Josh Klinghoffer: Quando eu tinha cinco anos eu escutava The Beatles e The Beach Boys. Então, quando eu tinha oito anos, eu tenho a memória dos Sex Pistols. 

Chad Smith: Uma coleção do meu irmão, quando eu tinha seis ou sete anos. Ele tinha todos os finais dos anos 60 / início dos anos 70 do rock Inglês e de bandas de blues como o Humble Pie, Queen, Led Zeppelin, Deep Purple, Cream... Esse foi um período fértil de 1969, quando eu tinha sete anos, até 1973. Meu irmão tocava violão, e eu comecei a tocar bateria. Ok, então começou a tocar em uma banda chamada... Conspiracy Rocking! Foi bem na época de Watergate.

Qual foi o primeiro registro que você comprou?  
Flea: Satch Plays Fats - Louis Armstrong tocando música de Fats Waller. [Canta] "All that meat and no potatoes/
Just ain't right – like green tomatoes."
 
Anthony Kiedis: Neil Young, Heart Of Gold. Eu vivia em Grand Rapids, Michigan. Em sua própria maneira especial que eu acho que ele fez me moldar um pouco.
 
Onde você escutava de Neil Young e Brand New Key?  
Anthony Kiedis: Veja, a maioria das músicas que eu ouvia de cinco até 11 era no AM Radio. Eu vivia com minha mãe. Ela interpretou Carole King, que falou comigo. Eu também tenho uma memória de ser profundamente afetado por Frankenstein Edgar Winter - meu rádio saiu no meio da noite e ele estava tocando. A outra coisa que ouvi foi Wings. Eu amei: Eu não sabia nada sobre a história ou a política de The Beatles, e eu não estava frio o suficiente para gravitar em torno de John Lennon. Mesmo agora que o registro Wings record [1971 da Wild Life] me mata.

Qual foi o seu primeiro show?  
Chad Smith: Blue Oyster Cult no Pine Knob Music Centre, Detroit, 1975. A razão foi que a banda Kiss deveriam abrir para eles e eu estava obcecado com o Kiss quando eu tinha 13 anos. De qualquer forma, eles cancelaram - Gene Simmons teve um surto de herpes ou algo assim. Então Michael Quatro, irmão mais velho de Suzi Quatro, abriu o show. Na verdade, eu acabei tocando bateria com esse cara.
 
Quem foi sua inspiração em primeiro lugar?  
Anthony Kiedis: Não foi uma única pessoa. Iggy Pop, David Bowie. Eu vi um concerto de Bowie no início dos anos 70 que foi absolutamente mágico. Eu nunca quis ser como ele, mas eu estava no amor com que ele estava fazendo. Eu realmente não senti vontade de fazer música até o início dos anos 80 quando eu comecei a ouvir alguns discos de hardcore - funk que estavam saindo por bandas como Defunkt e Grandmaster Mash And The Furious Five. Foi quando me dei conta de que eu poderia ser capaz de fazer isso - especialmente quando ouvi Grandmaster Flash.

Qual é o disco mais constrangedor que você possui?  
Chad Smith: Tainted Love pelo Soft Cell. Eu gosto de algumas bonitas canções bobas de Chicago, também.

Última vez que uma  música o fez chegar às lágrimas? Flea: Foi cerca de um mês atrás. Eu estava andando na praia de Big Sur ouvir o EP Ruff Draft [falecido rapper de Detroit / produtor] por J Dilla. Foi uma experiência realmente poderosa - tão lindo que me fez chorar.

Qual é a sua canção do karaoke de escolha?  
Josh Klinghoffer: Oh! Give It Away... do Red Hot Chili Peppers.
 
Um canção que você gostaria de ter escrito? 
Anthony Kiedis: Meu Deus, há cerca de 500. Eu posso ouvir qualquer registro de Bob Dylan e "Eu gostaria de ter essa capacidade de falar sobre a vida do jeito que ele fez." Ele e seus antecessores - como Woody Guthrie. Rappers adiantados como NWA - não que eu posso se relacionar a sua experiência comum.
 
Qual é o seu disco favorito dos últimos 25 anos? 
Chad Smith: Eu realmente gostei de Appetite For Destruction do Guns N 'Roses . Quando me mudei aqui para a Califórnia, eles estavam apenas começando a explodir. Gostava de ir a clubes como o  Sunset Strip e ver Axl Rose e Slash pendurado para fora. Eu gostava de toda a sua atitude refrescante. John Frusciante amou esse registro também.

Fotos da revista: 



Show do Red Hot Chili Peppers em Estocolmo, Suécia - 12/10/11

The Ericsson Globe
O Red Hot Chili Peppers fez seu segundo show em Estocolmo, Suécia hoje com abertura do Femi Kuti and The Positive Force.

O local do show também é no mesmo lugar, o The Ericsson Globe, ao qual está localizado no distrito Johanneshov de Estocolmo (Stockholm Globe City). A Ericsson Globe é atualmente o maior edifício hemisférico no mundo e levou dois anos e meio para construir. Forma de uma bola branca grande, tem um diâmetro de 110 metros (361 pés) e uma altura interior de 85 metros (279 pés). O volume do edifício é de 605 mil metros cúbicos (21188800 pés cúbicos). Ele tem capacidade para 16.000 espectadores para espectáculos e concertos, e 13.850 para o hóquei no gelo.

Setlist do show:

1. Monarchy of Roses
2. Universally Speaking
3. Tell Me Baby
4. Scar Tissue
5. Look Around
6. Otherside
7. Goodbye Hooray
8. She's Only 18
9. Me & My Friends
10. The Adventures of Rain Dance Maggie
11. Can't Stop
12. Ethiopia
13. Higher Ground
14. Under the Bridge
15. By the Way 

Encore:
­
16. Sir Psycho Sexy
17. They're Red Hot
18. Everybody Knows This Is Nowhere (Neil Young cover)
19. Give It Away  

Vídeos:


Give It Away@Ericsson Globe Arena in Sweden October 12th
 

Everybody Knows this is Nowhere@Ericsson Globe Arena in Sweden October 12th
 

Sir Psycho Sexy & They’re Red Hot@Ericsson Globe Arena in Sweden October 12th
 

Chad Smith & Mauro Refosco Jam@Ericsson Globe Arena in Sweden October 12th
 

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Red Hot Chili Peppers em Estocolmo, Suécia - 11/10/11

Interior do Ericsson Globe
O Red Hot Chili Peppers fará seu 1º show em Estocolmo no Ericsson Globe para a turnê do álbum "I'm With You". A banda fará mais um show no mesmo local amanhã (12/10).

Sobre o local do show, The Ericsson Globe está localizado no distrito Johanneshov de Estocolmo (Stockholm Globe City). A Ericsson Globe é atualmente o maior edifício hemisférico no mundo e levou dois anos e meio para construir. Forma de uma bola branca grande, tem um diâmetro de 110 metros (361 pés) e uma altura interior de 85 metros (279 pés). O volume do edifício é de 605 mil metros cúbicos (21188800 pés cúbicos). Ele tem capacidade para 16.000 espectadores para espectáculos e concertos, e 13.850 para o hóquei no gelo.


Confiram o Setlist:

1. Monarchy of Roses
2. Can't Stop
3. Charlie
4. Otherside
5. Look Around
6. Breaking The Girl
7. The Adventures of Rain Dance Maggie
8. Right On Time
9. Throw Away Your Television
10. Under the Bridge
11. Did I Let You Know
12. Pea
13. Factory of Faith
14. Higher Ground
15. Californication
16. By the Way

Encore:

17. Chad & Mauro Jam
18. Freaky Styley
19. Dani California
20. Soul to Squeeze
21. Give It Away
22. Final Jam

Vídeos:

Freaky Styley@Ericsson Globe Arena October 11th
 

Breaking The Girl@Ericsson Globe Arena October 11th
 

Otherside@Ericsson Globe Arena October 11th
 

Can't Stop@Ericsson Globe Arena October 11th
 

Higher Ground@Ericsson Globe Arena October 11th
 

Factory of Faith@Ericsson Globe Arena October 11th
 

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

domingo, 9 de outubro de 2011

Show do Red Hot Chili Peppers em Hamburg, Alemanha - 09/10/11


O show dessa vez do Red Hot Chili Peppers na Alemanha será no O2 World em Hamburg. O show de abertura será do Femi Kuti and The Positive Force.

Sobre o local do show, 02 World é uma arena multi-uso em ambientes internos, no bairro de Friedrichshain, que abriu em Setembro de 2008. Desenvolvido pela Anschutz Entertainment Group, foi nomeado O2 World, quando O2 Germany comprou os direitos de nomeação.

Foto do setlist:


Fotos da apresentação: